Colunistas

Vivemos tempos de superação

publicado em 19 de setembro de 2020 - Por Antônio Carlos de Almeida

Superação é uma palavra bem interessante. Sua raiz remete a dois significados, ambos expressivos. Pode ter o sentido de uma ação especial, não comum, que vai além das expectativas, que requer muita força ou dedicação. Pode também ter o sentido de passar de uma situação cheia de problemas para uma situação mais harmônica.

Significa aqui ultrapassagem das dificuldades, chegando a um novo patamar de realizações e conquistas. Na atual fase da pandemia, muitas são as pessoas que trabalham duro para superar sequelas da covid, assim como muitas empresas buscam alternativas para recuperar o equilíbrio anterior.

As histórias de superação comovem. Em ambientes religiosos, esportivos, terapêuticos e de vendas, dentre outros, histórias de superação têm a finalidade de mover as pessoas para objetivos ousados. Esses relatos muitas vezes conseguem de fato despertar as pessoas para grandes esforços, justamente porque comovem, agitam e abalam. Trabalham o interior das pessoas, despertam as energias mais profundas.

Uma história bem contada necessita de poucos minutos. Uma pessoa recuperar a saúde depois de uma doença, uma empresa recuperar o equilíbrio depois da falência, um atleta alcançar o pico de uma montanha ou fazer uma grande travessia por água são processos muito demorados.

Dependem de muitos dias, meses e, frequentemente, de anos. Muitos são os momentos de dor, de esforço e de esperança. Mesmo tendo a presença contínua e solícita de amigos, parentes, médicos, enfermeiros ou técnicos, alguns momentos são de absoluta solidão. O tempo entra numa dinâmica diferente, deixa de correr, não passa.
A superação tem vários ingredientes.

O primeiro deles é ver para além das aparências, é ver luz no final do túnel quando este é longo e tem algumas curvas em seu percurso. Impossível para os olhos carnais, tarefa possível para a fé que se alicerça na espiritualidade. Por sinal, quem vive algum tipo de superação, no final do processo sai uma pessoa diferente, principalmente no que diz respeito à maneira como vê as coisas. Torna-se mais espiritualizada.

Outro ingrediente importante da superação é saber aonde quer chegar e buscar os recursos que levem para esse ponto de chegada. Curiosamente, as pessoas querem chegar onde já estiveram, mas também querem algumas coisas novas: “quando chegar lá, farei diferente, já não me preocuparei tanto com algumas coisas secundárias, empregarei melhor meu tempo e energia, me dedicarei mais a Deus e às pessoas, serei socialmente mais responsável”.

Força de vontade, persistência e retomadas são outros ingredientes sempre presentes em processos de recuperação. Na vida poucas coisas são lineares, quase nada cresce num ritmo constante. O mais comum são processos cíclicos: nascer, crescer, estabelecer, definhar, morrer. Assim ocorre com a semente enterrada, desaparecida e morta, da qual brota a vida de uma nova planta, que dá flores e frutos. Numa recuperação, muitas são as retomadas. Em alguns momentos parece que tudo está regredindo. Então, a força de vontade e a persistência são mais necessárias do que nunca.

O mesmo ocorre quando alguém deseja realizar uma ação muito especial (superação). É comum que em alguns momentos nem mesmo pessoas próximas conseguem entender o propósito daquilo que está sendo iniciado. É necessário estabelecer um bom plano de ação para chegar aonde se deseja. E, também, força de vontade e persistência, inclusive nos momentos de retomada. No final, a história daquilo que foi realizado também é comovente.

A atual fase da pandemia ainda nos apresenta dúvidas, riscos e desafios. Vivemos uma época em que muita gente vive processos de superação. Vivemos um momento que requer ações especiais de todos nós, no âmbito pessoal, familiar, profissional, empresarial, social e político, para que as conquistas já realizadas persistam e sejam ampliadas.