Colunistas

Vem passarinhar, vem!

publicado em 21 de maio de 2019 - Por Ambiente em Pauta

Nada melhor do que olhar os passarinhos que vivem nas praças, quintais e jardins de cada um para se encantar e querer que eles fiquem por ali. Espantadas das mata e florestas, hoje fragmentadas, muitas aves procuram abrigo nas cidades. E Bragança Paulista não é exceção. Vamos então cuidar do lugar em que moramos.

As aves que vemos nas praças, mais acostumadas à presença humana, são fáceis de observar. Passarinhar é isso, passear olhando passarinhos. Para ajudar a conhecer as aves que voam por aqui, o Movimento de Observação de Aves organiza periodicamente uma passarinhada com guia especializado. A próxima é dia 9 de junho no Lago dos Padres, às 7h30 da manhã.

É hora de passarinho acordar! Basta chegar e não se esquecer do protetor solar, chapéu, água e alguma coisa para o café compartilhado, se quiser. Passeio de duas horas para toda a família e todas as idades.
André Mendes, o guia, vai mostrando as aves que estão por ali. Dá o nome, anota as quantidades, explica suas principais características. E depois da caminhada bem pausada, temos um café compartilhado e tempo para perguntas.

Esse movimento amador – isto é, não profissional – é de grande importância para o recenseamento das aves brasileiras. Os dados compilados no eBird (ebird.org/brasil) e fotos e sons no Wiki Aves (www.wikiaves.com) passam a fazer parte do banco de dados usados por cientistas e especialistas, como os do Observatório de Aves do Instituto Butantan, de São Paulo, que apoia o Movimento de Observação de Aves Urbanas. Se uma espécie chega aqui que não é sua praça, ou desaparece, isso quer dizer alguma coisa a respeito da saúde e qualidade de nosso território.

A atividade faz parte do programa Ciência Cidadã, que busca motivar as pessoas a observar aves e contar o que viram para ajudar os cientistas a fazerem seu trabalho. Afinal, eles não podem ficar todo o tempo passeando pelas praças.

O maior banco de dados do gênero fica na Universidade de Cornell nos Estados Unidos, que gerencia o ebird e dá suporte aos observadores do mundo todo. No Brasil são uns 30 mil, calcula-se. Cifra modesta ainda, mas que já mobiliza alguns setores da economia, como o turismo.

O Movimento de Observação de Aves Urbanas foi criado em 2015 pela Associação Bragança Mais e Coletivo Socioambiental. Desenvolveu entre outras atividades, a campanha popular “Ave Símbolo”, que elegeu a Coruja-buraqueira como ave representativa de Bragança Paulista. O resultado da campanha foi consagrado por unanimidade pela Câmara dos Vereadores na Lei Ordinária 4610 de 2018.