Colunistas

Suspensão dos empreendimentos

publicado em 26 de janeiro de 2019 - Por Marcus Valle

Na semana passada já nos manifestamos sobre o Decreto nº. 2.865 de 11 de Janeiro de 2019, que suspendeu todos os empreendimentos em Bragança Paulista, até que esteja pronto o novo Plano Diretor.

Entendemos que realmente deva haver uma preocupação em não se aprovar tudo, pois temos sérios problemas de trânsito, enchentes, poluição, mobilidade em geral etc.

Porém, cada caso é um caso, e tem que ser analisado individualmente. Suspender todos os empreendimentos durante meses irá causar grande impacto econômico no município, isso refletirá não só no setor imobiliário e na geração de empregos, mas também nos outros setores. Portanto, o decreto é radical, generaliza todos os casos.

Em reunião na Câmara, a maioria dos vereadores concordou que deva haver a revogação ou, no mínimo, flexibilização do decreto.

2–Remo C.R.B.

O Clube de Regatas Bandeirantes (CRB), que se localiza às margens do Tanque do Moinho, resolveu implementar mais o uso do lago, adquirindo caiaques, stand ups e novos pedalinhos.

Eu, que sempre pratiquei remo lá com os barcos de alumínio (e continuo usando os mesmos), vejo hoje dezenas de pessoas utilizando o lago para remar. Justifica o nome Clube de Regatas.

3 – Abrir rua

          O trânsito de Bragança piorou muito, inclusive na Zona Sul. Mas há uma estrada (ou rua), aberta pelo ex-secretário Moufid, de cerca de 800 metros, ao lado da pista do aeroporto, que ajudaria muito como nova opção de acesso. O local foi fechado, por ser de terra, alegaram que ia muita poeira no hospital da USF. Deveriam pavimentar o local e ativar.

Temos cerca de 35 mil motos e 85 mil veículos em Bragança.

4 – Boteco na TV

          O Mello Jr. tem um programa de entrevistas bem informal na TV Bandeirantes, todos os sábados de manhã, às 9h30. Ele já tinha com outros companheiros (Fernando e Pedro Fabrini) esse programa na TV Bragança, depois Altiora. Nesse sábado ele vai repetir uma entrevista que eu dei no mês de setembro.

5 – Carnaval: verbas

          Esperamos que a Prefeitura tenha o bom senso de incentivar o Carnaval, sem despender grandes verbas às escolas de samba (sempre votei contra essas verbas, pois acho que o Carnaval tem que ser autossustentável).

Reconheço o esforço e o trabalho dos carnavalescos, mas entendo que há outras prioridades.

6 – Áreas a se desapropriar

          Prefeitura anunciou duas desapropriações para amenizar problemas de trânsito e enchente. A primeira, na Rua Tupi e a outra em frente o Colégio Anglo, terreno onde existe um lago semiassoreado (alvo de processo). São justificáveis as alegações.

Grande parte desses dois terrenos é Área de Preservação Permanente, 30 metros do ribeirão e do lago são APP e não tem valor comercial normal (o proprietário não pode construir). Isso tem que ser considerado na avaliação para as desapropriações.

A Prefeitura só poderá usar o local com licença ambiental, comprovando a utilidade pública.

7 – Parque Municipal Lago dos Padres

          Várias vezes reclamamos nesta coluna e na Tribuna da Câmara, sobre a falta de manutenção no Parque Lago dos Padres. O local estava com mato altíssimo, placas derrubadas, ponte avariada etc.

Nessa semana estivemos no local e vimos que o mato na parte de baixo foi cortado e a ponte consertada (falta cortar o mato na parte de cima e arrumar as placas que estão caídas).

8 – Reclamação

Muitos moradores de residências que ficam no roteiro (itinerário) do desfile de blocos de Carnaval (Rua José Domingues, Travessa Taboão e outras) estão preocupados com fatos que ocorreram no ano passado: pessoas urinando nas ruas e casas (tem lei que prevê multas, além de ser ato obsceno), brigas e vandalismos. Embora seja uma minoria que faz isso, os fatos podem se repetir.

Seria importante que a Guarda Municipal acompanhasse o evento para evitar essas ocorrências ilegais.

9–Taxa de coleta do lixo

          Um assunto polêmico que neste mês de janeiro causou enorme desgaste à administração municipal foi o aumento do valor da taxa de coleta de lixo em mais de 50%, de surpresa, sem aviso, baseado na mudança da base de cálculo (do IPCA para o Código Tributário). Admitem que erraram feio nos anos passados?

10 – Reforma tem que ser para todos

          Muito se fala sobre a necessidade da reforma da Previdência, mas especialistas dizem (e é justo) que ela seja feita não só para os trabalhadores normais, mas também para os servidores públicos e militares. Há muita resistência nessas categorias.

Para ser justo, registro que o vice-presidente General Mourão, disse que os militares também terão que ser envolvidos na reforma.

11 – Radicais: e seus delírios

          O radical (seja de esquerda ou de direita) nega o “bom senso”, o argumento lógico. Num processo de “negação”, e para confirmar de qualquer modo suas crenças, navega nas teorias da conspiração, ou na seletividade (ao sabor da sua paixão).

Nessas eleições, dentre centenas de bobagens, destaco as duas mais absurdas: 1º – Bolsonaro não foi esfaqueado. Foi tudo uma farsa (teria que ter um complô entre todos os médicos, partidos, imprensa etc.). 2º – O sujeito louco que esfaqueou Bolsonaro era um mercenário contratado por adversários (contratar um “tonto” com uma faca para todo mundo ver, seria um plano maravilhoso).

Enfim… a gente ouve essas coisas e não sabe se chora ou ri.

12 – Folclore

          O Jango tinha um contato direto com o governador Alckmin e falava sempre com ele no celular.

Numa tarde, um grupo grande estava sentado no restaurante Estância, quando um cara, pomposamente, disse que havia estado no dia anterior com o governador, e que havia pedido algumas verbas para Bragança. O sujeito era um notório mentiroso… e eu não disse nada, mas o Jango, que não o conhecia bem, acreditou. Entusiasmado, pegou o celular e discou para o governador, que atendeu na hora.

Jango começou a falar sobre o encontro do cara no dia anterior com Alckmin e eu vi que o rapaz ficou branco como cal. Jango falou mais um pouco e se despediu. E disse: – O governador tá trabalhando demais…até esqueceu que se reuniu com você ontem.