Colunistas

Som alto de carros

publicado em 16 de novembro de 2019 - Por Marcus Valle

Na madrugada do último sábado, novamente veículos com som altíssimo infernizaram a vida de moradores próximos ao Lago do Taboão.

O fato ocorre há meses, mas dessa vez, depois de muitas chamadas e protestos, a Guarda Municipal esteve no local (a PM, embora tenha atribuição por convênio firmado, diz não ser sua função). Resta saber: os carros foram apreendidos? Houve multa? Continuará a fiscalização?

2 – Para 2024

Vereador Claudio Moreno resolveu apresentar um projeto para reduzir o número de vereadores. Mas não é para 2020 e sim para 2024 (questão de prazo).

Eu sempre fui favorável à redução. Só não apresentei o projeto, porque nunca conseguia obter 2/3 para essa próxima legislatura 2020.

A seguir, reproduzo o que publiquei nesta coluna em 20 de abril de 2019, onde defendo a redução de 19 para 15 vereadores.

3 – Número de vereadores
(publicado em 20 de abril de 2019)

Desde 1977, quando comecei na política, tivemos 15 vereadores, depois 19, depois 11 e novamente voltou a 19 (desde janeiro de 2013).

É claro que, à primeira vista, a população tenderia na imensa maioria a achar que 11 vereadores seriam mais que suficiente, porque aparentemente teria um gasto menor.

Pessoalmente, acho 19 um número excessivo, e defendo a redução para 15 (quinze), já que 11, por exemplo, prejudicaria a representatividade (vários setores sociais não ficariam representados), e não haveria mudança na composição (os mesmos, de grandes partidos, majoritariamente seriam eleitos).

4 – Como funciona
(publicado em 20 de abril de 2019)

Não são os candidatos mais bem votados os eleitos, mas sim os de partidos que alcançaram o quociente eleitoral. Exemplo: Com 11 cadeiras, se 110 mil eleitores votarem, para cada vaga é necessário que o partido faça 10 mil votos (110 mil divididos por 11). Com 15 cadeiras o quociente baixaria para 7,3 mil votos (110 mil divididos por 15).

Com 11 cadeiras, um candidato de 3 mil votos pode não ser eleito (se seu partido não tiver mais 8 mil votos), e se um candidato tiver 700 votos se elege num partido grande e forte, de grupos políticos tradicionais.

Impede-se qualquer renovação e participação de minorias. Não pode ser alterada a composição na própria legislatura. Para a próxima isso dependeria do voto de 2/3 dos componentes da Câmara (13 votos). Com 15 cadeiras haveria maior chance de um consenso e o número seria adequado.

5 – Bosques da Pedra

Continuam as reclamações (justas) dos moradores do bairro Bosques da Pedra, e imediações, que não aguentam mais as más condições do acesso ao bairro – está todo esburacado e sem acostamento, o que causa sérios riscos aos pedestres, ciclistas e motoristas que passam cotidianamente pelo local.

Muitas reuniões foram feitas com o Executivo, muitas promessas, mas nada de efetivo foi realizado.

6 – Algumas sugestões atendidas

Como vereador também faz sugestões, após muita insistência consegui que a Prefeitura implantasse uma faixa elevada de pedestres em frente à Vitrine do Lago, na Variante do Taboão. E só depois de dois anos, após muitas denúncias, conseguimos que fosse retirado e afastado um tapume que tomava mais da metade da calçada, nas proximidades.

7 – DER: locais perigosos

Em relação ao DER, mesmo cobrando a intervenção da Prefeitura, o atendimento de simples, mas importantes pedidos, são difíceis de obter. Na entrada do bairro Vista Alegre (começo da estrada Bragança – Amparo), conseguimos (com a intervenção do prefeito) que colocassem duas lombadas para evitar acidentes. Na estrada Bragança – Piracaia, entrada do Bairro da Serrinha (perigosíssima) eu, mais os vereadores Moufid e Fabiana só conseguimos uma sinalização de solo (o ideal era um trevinho).

Mas o local mais perigoso de Bragança, o cruzamento da XV de Dezembro com a Rinzo Aoki, perto do campo de futebol do Tanque do Moinho, continua sem providências (já morreu uma moça de 18 anos lá, e muitos se feriram). Prometem sempre alterar o local (rotatória? lombadas? sinais?), mas até agora só enrolação.

8 – Rápidas

1 – Represa está com 39% de sua capacidade. Índice baixo para essa época.

2 – Licitação de ônibus (transporte coletivo), até agora não foi definida a vencedora. Preocupante uma questão referente à previsão de número de passagens vendidas ao mês, que, se não for alcançada, terá que ter o valor faltante subsidiado pela Prefeitura.

3 – Estradas Bragança – Itatiba e Bragança – Socorro e suas promessas de duplicação, viraram gozação. Ninguém mais leva a sério. Infelizmente.

9 – Folclore

Os proprietários da livraria da USF (Celso e Aline) adoram animais.

Tratam de cães, gatos e na época cuidavam de uma cadela denominada “Nina”, que vivia solta e era muito popular entre os alunos.

Colocaram até uma coleira nela com o telefone deles. Numa conversa, eu disse ao Celso que ele era judicialmente responsável por tudo que a cachorra fizesse, e ele ficou meio preocupado.

No dia seguinte, liguei pra ele, mudei a voz, o nome e disse que a cachorra havia invadido minha casa, mordido um monte de gente, me causado graves lesões e eu iria processá-lo.

Ele estava nervosíssimo e perguntou que lesão eu havia tido.

Expliquei:
– Eu estava fazendo xixi no meu jardim, ela veio e arrancou meu bilau…

Só aí ele percebeu que era eu, e disse irritado:
– É… mas então não tem problema… você não usa mesmo!