Colunistas

Será?

publicado em 18 de janeiro de 2020 - Por Marilene Glaber

Será que eu posso fazer ou dizer o que eu quiser?

Na verdade, nada é constante; tudo passa; até a  uva passa. A juventude também.

Quando eu era mais jovem, dava três voltas no lago, jogava tênis.

Agora, só posso jogar tênis na cabeça de alguém ou em cima do  armário.

Será que consigo dar uma volta no quarteirão?

Claro que não.

A única coisa que faço é ir até a esquina, de braço com minha cuidadora. E  isso já é  ótimo.

A minha principal companheira é a bengala. Ela é de alumínio, bem levinha.

Mas o que eu gosto muito é de colocar frutas numa bandeja lá fora e ver os passarinhos comendo. Parece até que eles estão me agradecendo.

Hoje eu tenho um encontro comigo mesma.

Vou me perguntar se está tudo certo.

E se não estiver não tem o que fazer.

É assim que  tem que  ser.

Nada a fazer.


Secured By miniOrange