Colunistas

Sarampo: Bom esclarecer

publicado em 21 de julho de 2018 - Por Marcus Valle

Sarampo. Depois de quase erradicado, voltou a ocorrer no país. São casos que preocupam nossas autoridades. A Secretaria Estadual fez manifestação. Pedimos que a Secretaria Municipal também fizesse esclarecimentos, e ela prontamente realizou.

2 – Calçadas

Buracos nas calçadas do Centro. Rua Dr. Candido Rodrigues, Cel. João Leme, Teófilo Leme e Praças centrais. Muita gente caminhando e sujeito a acidentes. Prefeitura tem que fiscalizar e proprietários dos imóveis arrumar.

3 – Faros D´Ajuda

É fato notório que a Faros D´Ajuda faz um excelente trabalho – e desinteressado, sem vantagens pessoais – na defesa dos animais (cães e gatos). A Prefeitura deveria fazer o possível para manter o trabalho da entidade. Será que conseguirão manter – ou até melhorar – esse trabalho com novo grupo?

4 – Faros D´Ajuda II

Hoje existe no Canil cuidado pela Faros, cerca de 450 animais (aproximadamente 300 cães e 150 gatos). A entidade recebe 20 mil reais por mês da Prefeitura, e tem que fazer alimentação, limpeza, tratamento, cirurgias e castração dos animais. Esse valor, obviamente é insuficiente.

5 – O que acontece?

Não tem ninguém trabalhando na obra de reforma e restauração do prédio do antigo Colégio São Luiz.
Na Praça Nove de Julho as obras estão a “passos de tartaruga”.

Lago do Taboão, desassoreamento suspenso? Praça Central, lentidão total; lago do Tanque do Moinho, só promessas.

6 – Praça 9 de Julho

Me recordo que uma reunião foi realizada no Gabinete do Prefeito para discutir a questão da reforma (e mudança no trânsito) da Praça 9 de Julho. Presentes vereadores (Marcus Valle, Beth e Claudio), comerciantes e prestadores de serviços que têm estabelecimentos no local. Depois de ampla discussão, chegou-se a um consenso quanto à reforma.

No entanto, todos fizeram um apelo e ficou acertado que as obras seriam rápidas, não demorariam, pois do contrário, todos seriam prejudicados.

Falhou… há meses que as obras empacaram. Eram para estar prontas em maio, no máximo junho.

7 – Estudos… até quando?

Eu e o vereador Quique Brown insistimos na necessidade da Prefeitura enviar projeto à Câmara para isentar de IPTU os imóveis tombados, cujos proprietários estejam cumprindo a lei. É mais do que justo. No entanto, a Prefeitura sempre responde a nossos questionamentos e pedidos, dizendo que a matéria está em estudos. Ou seja, estão enrolando.

8–Reportagem interessante

Na revista “Superinteressante” de julho, uma excelente reportagem sobre “erros médicos” (aliás, erros existem, muitos, em todas as profissões). Assustadores os dados. Mesmo nos EUA, os erros matam mais que muitas doenças. No Brasil, os índices são ainda maiores.

9 – Cinemas

Bragança ficou vários anos sem cinema. Muita gente protestou. Hoje, temos sete salas (três no Cine A e quatro no shopping).

A população precisa prestigiar mais.

10 – Eleições presidenciais

Com o fim da Copa do Mundo, vai esquentar a discussão sobre as eleições. Para presidente anunciam concorrer: Ciro Gomes, Marina Silva, Bolsonaro, Alckmin, Meirelles, Álvaro Dias, Amoedo, Collor, Manuela D´Ávila, Haddad e Boulos.

Alguns devem desistir até lá. Na verdade, acredito que concorram mesmo, de forma competitiva: Marina, Ciro, Alckmin e Bolsonaro. Embora tenho tendência a votar em Marina, acho que o segundo turno será entre Alckmin e Ciro (que crescerão no horário político).

11 – Folclore

Quando menos se espera, a noite pode ser inusitada. Julinho estava solteiro e foi sozinho jantar em um restaurante. Nisso, entra um grupo, e uma garota (que ele nunca tinha visto) vai até sua mesa e puxa conversa.
Como a garota é bonita – embora ela estivesse um pouco alterada – ele a convida para sentar. Ela aceita, e eles tomam uísque juntos. Os amigos dela vão embora e ele a leva para casa (aliás, uma bela casa onde ela estava sozinha).

Ela o convida para entrar e ele aceita. Parecia que ia ser uma noite diferente… e realmente foi. Ela diz que tem um cachorro, e o chama. O cachorro tinha fugido e ela começa a ficar nervosa. Julinho tenta acalmá-la, mas ela se desespera com o sumiço do cão. Começa a chorar, gritar e de repente… pega uma faca e diz que vai se matar.
Desesperado, Julinho consegue segurar os braços dela e a desarmar.

Pensa… se for embora, ela pode fazer besteira e ele será um suspeito. Ele fica e saem de madrugada à procura do cão (um pastor alemão chamado Estepe). Depois de umas duas horas (já eram quatro da manhã), o cão aparece na casa. Ela beija e abraça o animal, superfeliz. Julinho aproveita a felicidade, e a “deixa”, e anuncia que vai embora, está cansado. Ela insiste para ele ficar, mas ele se despede.

Ela diz:
– Vem amanhã almoçar comigo.

Ele responde:
– Se der eu venho.

A resposta dela foi ótima:
– É… você não vai voltar.