Colunistas

Recordando Belas Canções

publicado em 4 de abril de 2019 - Por Odila Baisi

Ao recordar as melhores épocas de nossas vidas, em clima romântico, lembramos da música que tocava naquele momento, que nos parecem melhores, graças à nossa memória.

esses momentos de recordação, aparecem as trilhas sonoras de nossas vidas-ternas, suaves e cheias de imagens, mais fáceis de serem vistas à luz das fotografias que imortalizam e sintetizam todas as vivências, e mais fácil ainda se fecharmos os olhos e ficarmos contemplando essa visão romântica da vida e traduzi-la em saudade.

A música que se evoca traz consigo o carinho que nos chega com as lembranças queridas e com uma mensagem de esperança para o futuro. Nem devemos pensar com pessimismo que qualquer tempo passado foi melhor, se nem sequer sabermos o que está por vir.

A música é capaz de nos fazer voltar ao passado quando o presente nos angustia, nos devolvendo a ele com um gesto amável e esperançoso para o futuro e nos fazendo lembrar de tudo aquilo que tem verdadeira importância na vida: a amizade, o amor, a beleza, através de melodias encantadoras.

Entre tantas canções para recordar, pode-se citar “The Entertainer”, de Scott Joplin, que nos transporta ao clássico do cinema “Golpe de Mestre”, com sua memorável melodia executada por Henry Mancini e sua orquestra; “Downtown”, interpretada por Petula Clark; “Wind Beneath My Wings”, interpretada pelo popular trompetista de Jazz Louis Armstrong (1968). “What a Wonderful World’, fez parte da trilha sonora de vários filmes, entre eles “Good Morning Vietnan” (Bom Dia Vietnan); e a canção “She Believes In Me”, interpretação na voz de KennyRogers. E muitas outras que nos fazem recordar belas canções do século XX.