Colunistas

Raposão está solto, mas não está livre!

publicado em 14 de novembro de 2019 - Por João Raposo

O país da piada pronta não decepcionou e aprontou mais uma: soltaram o cara que não queria ser solto, o cara que queria continuar preso e que não queria, de jeito nenhum, ir para o regime semiaberto! Lembra-se disso? Só rindo mesmo!!!

Quem não se lembra (e se esqueceu é porque a memória deve estar bem ruim) que, até umas duas semanas atrás, o “falastrão” Lula dizia que queria continuar preso, porque ele só sairia de lá (da cadeia) com a sua inocência decretada ou com os processos anulados, e se recusava ir para a rua. Lembra?

Pois é, o falastrão Lula mudou, mais uma vez, de ideia e agora resolveu acatar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que entende que prisões somente quando ao processo não caiba mais recursos, ou seja, tenha transitado em julgado, e saiu da cadeia! Desta vez Lula quis sair geeeeeenteeeeee!

A verdade é uma só: o falastrão Lula não queria sair de lá com uma tornozeleira eletrônica e saindo do jeito que foi (por uma decisão do STF de que a lei deva ser interpretada deste jeito), ele fica livre da tornozeleira e ainda “com ares” de inocente, o que decididamente ainda não é, e, provavelmente, nunca será!

SAÍDA CURIOSA

A saída do falastrão Lula foi bem “curiosa”. Ele foi recebido na frente de onde estava preso em Curitiba, pela filha e pela noiva, Rosângela da Silva, que ele chama carinhosamente de “Janja” e, segundo as más línguas, Lula lhe perguntou se ela está disposta a casar com ele e ser acusada, “até mesmo depois da morte”, de ser dona de algum triplex pelo Brasil afora, ou até mesmo na Praia Grande (pois no Guarujá ele já tem!).

Brincadeiras à parte, a verdade é que a saída de Lula é muito interessante, pois agora veremos o “tamanho que ele tem”. Vamos ver como ele será recebido nas ruas, nos shoppings, nos aviões (mas parece que, até agora, só andou de jatinho particular, inclusive no jatinho do apresentador Luciano Huck, que contraria, pois diz que “alugou” para ele, mas até agora Raposão não viu a nota fiscal do serviço prestado… alguém viu?), nos aeroportos (se deixar de andar de jatinho particular, que sempre tem uma entrada à parte), nos supermercados, nos bancos, nos restaurantes, enfim, vamos ver qual é o “tamanho” de Lula? Enfim, como se nota, Lula está solto, mas jamais livre!

FICHA SUJA

Outro detalhe importante é que Lula, mesmo solto, não pode ser candidato a nada, pois a Lei da Ficha Limpa impede, pois ele é um condenado em segunda Instância. Com certeza seja por isso que os advogados dele querem tanto que a sentença de Sérgio Moro (em primeira Instância) seja anulada, baseado nos vazamentos daquele “rapaz gringo”, chamado Glenn Greenwald, que levou um tapa na cara do jornalista Augusto Nunes, em um programa da rádio Jovem Pan, na semana passada. Alô Augusto: seu tapa me representa!

Caso a sentença de primeira Instância venha a ser anulada, o processo começará novamente e Lula deixará de ser um condenado em segunda Instância e aí sim poderá ser candidato a que quiser! Entenderam a jogada?
Para quem mudou o entendimento do STF, mudar ou anular apenas uma sentença creio que seja mais fácil… Aguardemos…

DECISÃO DO STF

Creio que causará grande surpresa a opinião que Raposão vai dar aqui, especialmente para quem não me conhece pessoalmente, afinal, sempre fui e sou uma pessoa com “alta tendência de Direita”, pois, embora sempre afirmei que a corrupção no Brasil é “ambidestra”, vejo que na “Esquerda” ela é bem maior, além de usar a desculpa da ideologia para cometê-la. Enfim, se é isso ou não, na prática é o que vemos.

Quanto à decisão do STF de impedir prisão sem que o processo tenha transitado em julgado, creio que essa decisão é acertada.

Como assim? Um cara de Direita falar isso!!!??? Calma! Raposão explica: estou sendo legalista e não falando com emoção e muito menos com paixão! O STF é o nosso guardião da Constituição. A nossa Constituição foi feita, lá em 1988, por uma grande parte de políticos que se diziam vítimas de perseguições de uma ditadura militar, aliás ditadura esta que, ao meu ver, nunca houve, e assim fizeram uma Constituição muito branda, cheia de facilidades e de direitos.

Aliás, nossas leis seguem o mesmo “esquema”, bem frouxas e cheias de recursos. Assim, “infelizmente”, lá na Constituição está escrito, com todas as letras, o seguinte em seu artigo 5º, inciso LVII: “Ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória”. Isso é o que chamamos de “presunção de inocência”. E, para piorar, ainda há o Código Penal que também estabelece a mesma presunção de inocência.

Como se vê, sendo legalista e ao pé da letra (creio que não há como “divagar” sobre a Constituição), a decisão do STF é perfeita, pois como mandar prender alguém se, legalmente, ele não pode ser considerado culpado? Seria muito estranho e até um absurdo prender alguém que não é, juridicamente, considerado culpado.

Portanto, infelizmente ou não, se realmente querem que os condenados passem a serem presos após a decisão dos Tribunais, ou seja, de segunda Instância, teremos que alterar a nossa Constituição Brasileira. E, pior, no meu entender a cláusula 5ª da Constituição é “pétrea”, ou seja, não pode ser mudada, ou seja, teria que mudar a Constituição inteira (fazer uma nova Constituição) para conseguir que presos passem a cumprir a pena após a decisão de segunda Instância…e agora José????

Enfim…durmam com um barulho desses! E, quando acabar toda essa confusão, se quiserem acordar o Raposão, acordem-me por favor! Melhor mesmo é dormir e nem ver essa balburdia que o Congresso vai virar, com cada lado defendendo o seu pensamento.
Vou dormir!

UM BOM FINAL DE SEMANA…

…a todos, lembrando que esta Coluna é meramente “fictícia”, com verdades e inverdades (cabendo a você, leitor, descobrir qual é qual?), e na quinta-feira que vem tem mais (se Deus assim consentir), lembrando que Raposão aceita dicas, opiniões, críticas e, é lógico, elogios (desde já, os agradeço), que podem ser feitos via e-mail, telefone (ver ambos abaixo), “sinais de fumaça” ou cartas para redação do BJD, situada à Av. Antônio Pires Pimentel nº 957, Centro, Bragança Paulista, CEP 12914-000.