Colunistas

Raposão e as mensagens “paroquiais”

publicado em 3 de outubro de 2019 - Por João Raposo

Raposão há umas três semanas, “disse” que um dia ainda iria escrever sobre “mensagens paroquiais”, que são essas mensagens que encontramos, vemos e lemos nas igrejas, paróquias, enfim…chegou o grande dia!!! (para o temor dos padres, pastores, etc). É hoje “falaremos” sobre esse mundo absolutamente “encantador”, onde o humor é espontâneo, é puro!

Raposão sempre achou que o humor cabe em qualquer lugar, desde um teatro, em uma reunião de negócios, em um velório (por que não?) e até em um Tribunal do Júri, enfim, o humor enfeita e alegra a vida e, por vezes, faz a pessoa entender melhor o que você está querendo dizer.

Mas, não sei se você vai concordar comigo, o humor “sem querer”, aquele que acontece sem que a pessoa queira, este sim é o verdadeiro humor, talvez o melhor deles! E, desde a adolescência, quando ia jogar ping-pong na cripta da catedral (“Marianos”, quem se lembra?), já olhava com curiosidade os cartazes e avisos espalhados pelas portas da igreja e já notava que alguns eram escritos, digamos, sem as “devidas cautelas”, soando até “duplo sentido”, e outras, “sem as devidas vírgulas”, acabavam dando um significado inverso ou diferente do que deviam dar.

As mensagens que Raposão vai transcrever abaixo, pelo amor de Deus, “NÃO” são de paróquias de Bragança, e obviamente não vou revelar de onde são, enfim, tudo em nome de preservar quem as escreveu, afinal quero que estas mensagens continuem a existir, pois fazem a alegria de muita gente, inclusive de Raposão. Vejamos elas:

– “O mês de novembro finalizará com uma missa cantada por todos os defuntos da Paróquia” (nota de Raposão: atenção pessoal, talvez, neste dia, terá gravação de mais um filme daqueles que os mortos adquirem vida e saem andando pela cidade, só que neste caso eles vão “cantar”);

– “O preço do curso sobre ‘Oração e Jejum’ não incluem as refeições” (nota de Raposão: como se vê, o curso é apenas teórico);

– “O coro dos maiores de 60 anos vai ser suspenso durante o verão, com o agradecimento de toda a Paróquia” (nota de Raposão: esse pessoal da “melhor idade” devia cantar bem, hein!?)

– “Assunto da catequese hoje: Jesus caminha sobre as águas. Assunto da catequese amanhã: Em busca de Jesus” (meu Deus! Afundou?);

– “Na sexta-feira às 19h os meninos do Oratório farão uma representação da obra Hamlet, de Shakespeare, no salão da igreja. Toda comunidade está convidada para tomar parte nesta tragédia” (por essa “tragédia” nem Shakespeare esperava!)

E tem ainda mais estas mensagens, que Raposão nem vai comentar! Vejamos:

– “Para todos os que têm filhos e não sabem, temos na Paróquia uma área especial para crianças”;

– “Prezadas senhoras, não esqueçam a próxima venda para beneficência. É uma boa ocasião para se livrar das coisas inúteis que você tem na sua casa. Tragam seus maridos!”;

– “Por favor, coloquem suas esmolas no envelope, junto com os defuntos que desejem que sejam lembrados”;

– “O torneio de basquete das Paróquias vai continuar com o jogo da próxima quarta-feira. Venham nos aplaudir, vamos tentar derrotar o Cristo Rei”;

Como se vê, as “mensagens paroquias” são sensacionais!!! Diria até indescritíveis, afinal, diferentemente de um jornalista, por exemplo, que supostamente tem o domínio do idioma e suas sutilezas, os paroquianos, mais preocupados em salvar almas, por vezes esquecem de interpretar o que eles mesmos escreveram. O resultado são essas mensagens maravilhosas!!! Se alguém souber quem as escreve, por favor, passa o nome dele para o Raposão! Prometo sigilo absoluto!

ACORDOS TRABALHISTAS TÊM NOVA LEI

Raposão alerta: nova lei promulgada na semana retrasada aperta o cerco aos acordos trabalhistas que não pagam impostos. Fique atento a isso!

A partir da sanção da Lei 13.876/19, os acordos trabalhistas, firmados entre empregados e patrões, que englobam pagamentos de verbas rescisórias como 13º salário, férias e horas extras deverão ter incidência de imposto de renda e recolhimento de INSS.

O que ocorria é que ao fazerem acordo, empregado e patrão punham o valor a ser pago como “verba indenizatória”, que é um direito do empregado que sofreu algum tipo de dano, seja material ou moral, e tais verbas não têm imposto de renda. De agora em diante vai ter de especificar as verbas e sobre as de caráter salarial (remuneratória) vai incidir o devido imposto de renda. São elas (anote aí): salário, horas extras, férias (pagas durante o contrato de trabalho), 13º salário, adicional noturno, adicional de periculosidade, adicional de insalubridade, prêmios habituais, gratificação de função e PLR habitual (participação nos lucros).

Portanto, ao fazer acordo em processos trabalhistas daqui para a frente, fique atento a isso!

UM BOM RESTINHO DE SEMANA…

…a todos e na quinta-feira da semana que vem tem mais (se Deus assim consentir), lembrando que Raposão aceita dicas, opiniões, críticas e, é lógico, elogios (desde já, os agradeço), que podem ser feitos via e-mail, telefone (ver ambos abaixo), “sinais de fumaça” ou cartas para redação do BJD, situada à Av. Antônio Pires Pimentel nº 957, Centro, Bragança Paulista, CEP 12914-000.