Colunistas

Profissionais sacrificados

publicado em 1 de agosto de 2020 - Por Marcus Valle

         Nesta época de pandemia, existem alguns profissionais que são muito sacrificados.

Os trabalhadores na área da saúde (médicos, enfermeiros, recepcionistas de hospitais, vigilância sanitária, etc.) têm mais possibilidades de contágio e sofrem até preconceitos de muitas pessoas.

         Os motoristas de ônibus e funcionários das empresas de transportes, além de maior exposição ao vírus, ainda sofrem ameaças e violências por terem que fiscalizar os passageiros (se estão com máscaras, etc.). Policiais e fiscais, idem.

         Devemos respeitar e entender esses e outros profissionais que estão na linha de frente no combate à pandemia.

 

 2 – Ônibus: melhorou a fiscalização

 

         Em relação aos ônibus circulares que trafegam no município, após denúncia que fizemos sobre lotação e pessoas em pé em algumas linhas no horário de pico, observamos que está havendo fiscalização e houve melhora nessas condições. Mas precisam colocar novas linhas nesses horários.

 

3 – Vencedora da licitação

 

         A construtora Artec S.A. de Brasília, foi declarada vencedora na licitação para obras da perimetral, por ter apresentado o menor preço.

         Tendo em vista informações que havíamos recebido sobre o fato da empresa estar em recuperação judicial (o que não impede sua contratação) e de ter tido problemas com um contrato em Sorocaba (que foi rescindido), alertamos a Prefeitura.

         A Prefeitura pediu informações sobre essas questões à empresa, que respondeu estar apta a cumprir o contrato.

         Esperamos que não haja problemas.

 

4 – Saúde mental

 

         Em relação ao pedido que fizemos no sentido de que o município intensifique a atenção à Saúde Mental nesta época de pandemia, a Secretaria de Saúde nos respondeu que estão melhorando o atendimento com a contratação de pessoas.

 

5 – Represas e Água

 

         Para quem não sabe, o Sistema Cantareira (com 52,6% de capacidade) é composto por quatro represas: 1 – Jaguari – Jacareí (Bragança, Vargem e Piracaia, que está com 56,7% da capacidade); 2 – Cachoeirinha; 3 – Atibainha; e 4 – Paiva Castro (Mairiporã).

         São cerca de 50 km, que abastassem 60% da Grande São Paulo. Cerca de 30 mil litros de água por segundo são retirados do sistema.

         Já Bragança Paulista é abastecida pela água retirada do rio Jaguari (350 litros por segundo), próximo à empresa Santher, 100 metros rio acima, próximo à ponte.   

 

 6 – Animais domésticos e a pandemia

 

         Um paradoxo da pandemia: aumentou em muito o número de adoções de animais domésticos (cães, gatos etc.). O motivo é que as pessoas ficam muito mais em casa e o animal traz alegrias e atenua a solidão.

         Mas também aumentou em muito os casos de abandono desses animais (dificuldades financeiras, mudanças do imóvel etc.) e maus tratos.

         Enfim, as pessoas vivem uma situação excepcional e isso reflete nos “pets”. Prevê-se que no final da pandemia, infelizmente, aumentem os casos de abandono.

 

 7 – Gambá: animal silvestre protegido

 

         Falando de animais silvestres (que são protegidos por lei e sua caça ou morte é crime), uma espécie que é muito comum na área urbana é o gambá (saruê).

         Ele é inofensivo e, inclusive, benéfico, já que se alimenta de escorpiões e cobras, dentre outras coisas.

         Mas por sua aparência (é confundido com ratazana) as pessoas os matam por ignorância.

 

8 – Correio

 

         Muita gente está reclamando dos Correios, com relação aos atrasos e falta de entrega de correspondência ou material. Estamos oficiando através da Câmara para a tomada de providências.

 

 9 – Folclore


         Sempre fui meio distraído. Com nomes, pior ainda, faço trocas hilárias com frequência.

         Na Faculdade, quando eu dava aula de Direito, chamei uma aluna de Joana D’arc, mas o nome dela era Monalisa. O duro é que os alunos riram, achando que era de propósito.

         Noutra vez, vi que minha ex-aluna, Dra. Sabrina, filha do Dr. Benedito de Oliveira, tinha feito aniversário alguns dias antes. Liguei no escritório do pai dela e quando ela atendeu, eu disse:

         – Oi Samanta… parabéns atrasado pelo aniversário!

         Ela disse:

         – É Sabrina, professor… (e completou)… e o pior é que hoje é dia das bruxas.

         Samanta era o nome da personagem do filme “A Feiticeira”.