Colunistas

Poluição sonora

publicado em 27 de abril de 2019 - Por Marcus Valle

Na semana passada recebi várias reclamações sobre barulho nos períodos noturno e diurno na Rua José Domingues. As pessoas queriam saber onde poderiam reclamar e diziam ter dificuldades para conseguir providências. Por isso que sugeri a implantação em Bragança de um plantão para atender casos de poluição sonora, nos moldes do “PSIU” da capital. Em visita à Câmara, o secretário Bertin disse que atualmente as pessoas devem ligar para a Guarda Civil (153), ou Polícia Militar (190) que serão atendidas.

2 – Trânsito

         A prefeitura tem anunciado desapropriações para fazer novas vias de ligações, para tentar melhorar o trânsito no Bairro do Taboão. É uma medida elogiável, não há dúvidas (dependendo do que for aplicado). Mas temos sérios problemas de trânsito em nosso município por causa daquelas recentes alterações que, ao contrário do que se almejava, pioraram muito todo o trânsito, causando engarrafamentos enormes.

O que será feito de imediato?

Do jeito que está não dá para continuar.

3 – Projeto dos rojões barulhentos

 O projeto dos vereadores Beth Chedid e Marcus Valle, para proibir utilização de rojões (e bombas) “barulhentos”, de forte estampido, vai ser votado na Câmara. A grande maioria da sociedade é favorável (CONDEMA, Amadas – entidade de defesa dos autistas, protetores de animais, OAB, Bispo Diocesano etc. Embora a fiscalização não seja fácil, a aprovação da lei (a exemplo da lei antifumo) ajudará a criar uma cultura contra esses artefatos barulhentos (os fogos luminosos, de menor ruído, serão permitidos).

4 – Áreas de lazer

 Onde está se implantando “piscinão”, no lago em frente ao Colégio Anglo, deveria se fazer uma área de lazer para a população nas margens. Plantar árvores, colocar bancos etc. Solicitamos ao Executivo.

5 – Leite Sol e Usina

 Outras áreas que insistimos que o município deve aproveitar (através de permuta) é a Usina da Mãe dos Homens (turismo ecológico) e a Montanha do Leite Sol (espaço para caminhada e teleférico). Ambos têm grande potencial turístico.

6 – Fizemos pedido de informações

 Recebemos reclamações com relação ao concurso de professores (Fundamental e Infantil). Foram chamados no NAPA os aprovados e também os suplentes. Havia 30 vagas para o cargo de Professor de Educação Infantil e foram chamados os 50 primeiros, com documentação. Para ocargo de Professor Fundamental, chamaram o dobro das vagas. Segundo informações, quem não levava a documentação completa já era desclassificado, assumindo o suplente. Isso deve ter sido feito para tornar mais rápido o preenchimento dos cargos. Mas é legal tal procedimento? Não teriam os classificados um prazo para poder apresentar os documentos (ou desistir) antes de chamarem os suplentes?

7 – Planos de Saúde

 Planos de Saúde atendem 47,5 milhões de pessoas no Brasil (dados da Agencia Nacional de Saúde).

Se dividem em: 1 – Medicina de grupo – oferece estrutura própria e/ou contratada; 2 – Seguradoras – não possuem redes próprias, só referenciadas, ou fazem desembolso; 3 – Cooperativas médicas – formam uma rede de serviços própria ou podem contratar terceiros.

Outras modalidades são: a autogestão – empresas, sindicatos etc. para prestar serviços só a seus empregados ou ex-empregados; e a de natureza filantrópica – que são planos criados por entidades hospitalares sem fins lucrativos (Lei 9.656/98).

8 – Revistas impressas

 Uma das poucas revistas mensais que se mantém de forma impressa é a “Cult”, que completou 22 anos e está no nº 244, e tem tiragem de 35 mil exemplares.

É uma revista com ótimo nível de colaboradores.

Na edição de abril, há excelentes artigos sobre como atuam as milícias, sobre pacote anticrime e a atual cultura punitivista.

É, ao lado da “Piauí” (outra revista mensal), uma opção de excelente nível de debates.

9 – Pedidos de ingresso

 Impressionante o número de pessoas que nesta época de “Festa do Peão” ficam pedindo ingressos a autoridades e vereadores.

Já há muitos anos (pelo menos eu, posso garantir) não recebo “ingressos de cortesia” das empresas organizadoras para distribuir.

10 – Poluição no Uberaba

 Recebemos reclamações sobre poluição atmosférica, mau cheiro, borra e fumaça de uma indústria de salgados no Bairro Uberaba. Há anos já tivemos abaixo assinado com moradores, mas dizem que o problema persiste.

11– Folclore

 Campanha política. Um rapaz, bonzinho, mas meio intenso, se dispôs a me ajudar na campanha e me levou até uma chácara na zona rural, onde, segundo ele, a família toda votaria em quem ele pedisse. No caminho ele me contou que havia arrumado um emprego para o homem que íamos visitar. Entramos na chácara e fomos maravilhosamente recebidos pela família toda (pai, mãe, filhos, noras, genros), todos prometendo que, não só votariam em mim, como ainda tentariam arrumar outros votos. Disse o “chefe da família” que conhecia meu trabalho, mas que também gostava muito do meu amigo.

Daí, o meu acompanhante, de forma desastrosa e desnecessária, disparou a falar, na frente de todos:

Marcus… eu te disse… arrumei emprego pra ele… até fome ele estava passando.

O dono da casa reagiu na hora: fome o car…

Eu, totalmente sem jeito, tentei fingir que nada tinha acontecido e mudei de assunto, falando da chácara. Mas acho que não consegui consertar o desastre.