Colunistas

Plantas Alimentícias Não-Convencionais (PANC)

publicado em 8 de maio de 2018 - Por Ambiente em Pauta
Divulgação

PANCs, plantas alimentícias não-convencionais, é realmente um termo tanto quanto esquisito, mas é de grande importância. São as plantas que mais conseguem manter a sua energia vital, pois possuem crescimento espontâneo e natural e trazem inúmeros benefícios à saúde.

Em seu cunho histórico temos sua presença desde o período Paleolítico, conhecido como Idade da Pedra Lascada (250 milhões de anos/100 mil a/C), mas com a vinda dos produtos industrializados perdeu seu valor e conhecimento entre a população. Diante disso, o biólogo Valdely Ferreira Kinupp e o agrônomo Harri Lorenzi desenvolveram uma tese de doutorado sobre o assunto e posteriormente a publicação do livro “Plantas Alimentícias Não Convencionais (Panc) no Brasil”.

Num primeiro momento, observamos sobre seus benefícios mas alertamos que cada uma tem sua forma correta de ser usada e na dúvida é sempre bom consultar alguém que já usou ou consultar um livro sobre o tema. Podemos citar como exemplos: a ora-pro-nobis (Pereskia aculeata) que é conhecida devido ao seu alto teor de proteína; a beldroega (Portulaca oleracea) é uma excelente fonte de Omega -3, anti-inflamatória e antibacteriana, entre outros; a taioba (Xanthosomas agittifolium Schott) hortaliça rica em ferro, cálcio e proteína.

Portanto, para encontrar essas plantas não é difícil. Elas podem ser encontradas dentro de pedaços de matas atlânticas, principalmente as que estão mais perto da área rural longe de poluição, essas são mais ricas nutricionalmente.

E sem esquecer que dentro desse nicho engloba-se as frutas e plantas convencionais como a banana, que é possível usar sua casca para fazer outros alimentos ou o seu coração na hora do plantio quando chega ao final é possível descascá-la e fazer molhos e misturadas, alertando que há um processo a ser feito antes de ingeri-la. Além de feiras de troca de semente que existem na região e locais que valorizam esse contato próximo do meio natural e o ser humano, um exemplo disso é o Espaço Maitá localizado em Bragança Paulista.

Obs.: consulte sempre um nutricionista ou profissional da área. Texto: Laíza Teixeira, colaboradora do Coletivo Socioambiental e Associação Bragança Mais