Colunistas

Pesquisa sobre Carnaval no Rio

publicado em 21 de dezembro de 2019 - Por Marcus Valle

Pesquisa no Rio de Janeiro, capital, onde há o melhor Carnaval do Brasil.

Lá, 60% da população é contra que escolas de samba recebam verbas da Prefeitura para os desfiles, 35% da população é a favor e 5% são indiferentes. Essa é a pesquisa do DataFolha, publicada na segunda-feira, dia 16 de dezembro, página B4, Cotidiano.

2 – Carnaval: e Bragança?

Agora imaginem: se no Rio de Janeiro há essa posição, em municípios menores, a discordância com o dinheiro público para o Carnaval deve ser maior.

Mas em Bragança, há dezenas de anos a Prefeitura dá dinheiro às escolas de samba (sempre votei contra). Sou favorável que se ajude com policiamento, estrutura etc.

3 – Desfile de blocos

Será que este ano vão manter o desfile de blocos no centro da cidade?

Isso gerou uma série de confusões e reclamações nos anos anteriores. Seria bom mudar o trajeto para evitar confusão.

4 – Carnaval x Festa do Peão

Mas, se o Carnaval usa dinheiro público e gera gastos altos, pelo menos atrai pessoas para o município, gera lazer, atrai visitantes e mantém o dinheiro girando no município.

Acho que o Carnaval deve se autossustentar sem uso do dinheiro público, mas reconheço que em termos econômicos é bem menos prejudicial que a chamada “Festa do Peão”.

5 – Festa do Peão

A Festa do Peão é um sucesso de público. A população gosta muito, e cerca de 200 mil pessoas vão ao local nos dez dias do evento.

Mas, nos moldes que a festa é feita, a cidade perde e muito em termos econômicos (sai muito mais dinheiro do que entra no município). O público gasta só nas dependências do evento. Apenas alguns hotéis e lojas que vendem utensílios rurais têm aumento no movimento. As barracas, na sua imensa maioria são de fora. É a empresa que fornece as bebidas (cervejas, água e refrigerante) e os produtos não são comprados aqui.

O estacionamento é explorado por pessoas de fora. Nos dez dias de festa, o comércio sofre muito, cai intensamente o movimento (restaurantes e bares ficam às moscas).

Depois da festa há o efeito ressaca, aumenta até a inadimplência na cidade.

Calcula-se que os bragantinos gastam de sete a oito milhões de reais na festa, e esse dinheiro sai daqui. Pouco entra das pessoas de fora, visto que elas vêm e voltam no mesmo dia, na sua imensa maioria. Precisam mudar o formato da festa nesse aspecto. Em Barretos, o dinheiro fica na cidade, e aqui sai.

6 – Briga de cães

O meu cachorro (Akita) foi atacado por dois cães (um boxer e outro mestiço boxer e Blue Heeler). Pego de surpresa e na coleira, teve sua reação prejudicada. A briga durou cerca de três minutos. Foi um acidente.

Os dois cães escaparam da casa e atacaram. Eu, minha esposa e dois trabalhadores que estavam na residência tentamos parar a briga, mas foi muito difícil. Eu fui mordido duas vezes e um dos jardineiros quase perdeu o dedo, os três cães se machucaram. É horrível briga de cães. Por isso é que quando vejo que tem gente que promove rinhas, lutas de cães, fico revoltado. É assustador.

7 – Luta de cães

Rinha de cães em Mairiporã. Presas 38 pessoas (idiotas e cruéis), dentre eles um veterinário (deveria perder a possibilidade de atuar) e um Policial Militar (deveria ser expulso).

Havia no local 17 cães (a maioria com ferimentos). De acordo com a lei penal, dá para enquadrar esses imbecis em três ilícitos penais: 1º – crueldade contra animais (crime); 2º – associação para prática de crimes; 3º – contravenção penal por apostas ilegais.

É pouco para esses idiotas.

8 – Opção de rádio

Outro dia me indicaram uma opção de rádio, Garage 498 de Bragança Paulista. Só musicas, gostei. Para ouvir essa rádio você pode baixar o aplicativo Radios Net, ou pelo site www.garage498.com

Coordenador Jairo Cenciani, produtores Rodney Bonini (Júnior) e Marcelo Marchi.

9 – Dica de filme

Um excelente filme policial, lançado recentemente, é Crime Sem Saída. O ator é Chadwick Boseman (do filme Pantera Negra).

Com uma excelente história, policiais assassinados num assalto estranho, uma armadilha para os próprios assaltantes e com sérios indícios de algo maior, ou corrupção.

Vale a pena. Ótimo.

10 – Livro

Chico Buarque de Holanda é um compositor maravilhoso, genial, um dos maiores de todos os tempos. De uns anos pra cá, passou a escrever, enveredou na literatura. Seus livros anteriores são apenas razoáveis.

Seu último lançamento, intitulado Essa Gente, pela editora Cia das Letras, 192 páginas, conta de forma leve a história de um escritor fracassado, sua vida, com pinceladas do cotidiano do Rio de Janeiro. Não é ótimo, mas é um livro leve, gostoso de ler.

11 – Folclore: roubar para ler

O Vanderlei tem uma banca de jornais e revistas nas proximidades do Lago do Taboão. Eu fui lá e notei que ele havia mudado o visual, tirando um balcão que ficava na frente com as publicações à venda.

Eu perguntei:
– Foi por questão de segurança?
A resposta foi ótima:
– Não… foi para mudar o visual e o espaço. No Brasil ninguém rouba pra ler.