Colunistas

O que devemos preservar? Meio Ambiente? Nossa identidade? Nossa História? Nossos prédios antigos?

publicado em 20 de agosto de 2019 - Por Ambiente em Pauta

PRESERVAR é possível, SIM, desde que tenhamos conhecimento, informação, sentimento pela nossa história, amor a uma vida saudável, justa e sustentável. Temos que preservar nosso Meio Ambiente, nosso patrimônio histórico, natural e cultural. Temos que refletir sobre a responsabilidade de receber e transmitir nossas histórias às novas gerações. Preservar o Patrimônio Material (imóvel) e o patrimônio imaterial (vivo) faz parte das experiências anteriores sociais, econômicas, políticas e ambientais para entendermos nossa história.

Dia 17 de agosto, Dia Nacional do Patrimônio Cultural, comemorado desde 1998. O Patrimônio Cultural é considerado um bem ou bens, importantes para a sociedade brasileira, na valorização e reconhecimento de bens culturais e históricos, promovendo e coordenando o processo de preservação. O que entendemos por Patrimônio Material:

O Patrimônio Material é o conjunto de bens culturais móveis: coleções arqueológicas, acervos museológicos, documentais, bibliográficos, videográficos, fotográficos e cinematográficos; e Bens culturais imóveis: núcleos urbanos, sítios arqueológicos e paisagísticos, bens individuais, geralmente são tombados através de uma legislação existente para sua conservação e preservação. São vinculados a fatos memoráveis da História da Cidade, da Região ou do Brasil, quer por seu valor arqueológico ou etnográfico, bibliográfico ou artístico, merece ser PRESERVADO.
O que entendemos por Patrimônio Imaterial ou Patrimônio Vivo: Culturas populares, preservação dos múltiplos saberes, manifestações tradicionais, memórias e histórias de um grupo com identidades ideológicas. Poderá ser um grupo ou uma pessoa, um poeta, um artesão, um sambista, um sanfoneiro, um cineasta, desde que represente um momento histórico, popular, cultural ou tradicional.

Para ter este título de Patrimônio Vivo (Imaterial) de uma cidade ou de uma região é preciso participar de uma análise e reconhecimento, onde cada estado tem sua legislação especifica. No estado de São Paulo temos o Decreto 57.439/2011, institui o registro de bens culturais de natureza imaterial que constitui o Patrimônio natural do Estado de São Paulo e cria o programa do Patrimônio Imaterial (Patrimônio Vivo). O cidadão ou o grupo escolhido e reconhecido se o representante da cultura tradicional e popular, com a missão de Preservar, Valorizar e Ensinar as novas gerações.

O Antigo é uma obra de arte, o antigo traz conhecimento, técnicas, assim são consideradas as pinturas antigas. E a arquitetura e as outras formas de expressões artísticas?

Vamos deixar de pensar que tudo que é antigo é velho e cafona. Porque temos que reformar e modernizar. Porque desvalorizar, porque demolir? Vamos dar o devido valor artístico e histórico aos nossos bens culturais, as pessoas que praticam a tradição, o saber popular, temos que reconhecer e preservar aquilo que foi feito com amor, sabedoria e tradição. A implementação e regulamentação de legislações são muito necessárias, pois somente assim poderemos resgatar e preservar nosso Patrimônio Cultural, onde também se faz necessário alguns incentivos por parte do poder público.

A história estuda a vida do homem através do tempo, possibilita a investigação e o conhecimento dos diferentes grupos sociais e da evolução humana. Permite reconhecer no espaço físico, na cidade, no campo, na agricultura, na organização social, econômica, cultural e ambiental, o modo de como viviam, como trabalhavam, como plantavam, como estudavam. A História de uma Cidade são suas memórias. Temos o dever de PRESERVAR.

Que tal observarmos o centro histórico da nossa cidade e refletirmos um pouco sobre a nossa história, nosso Patrimônio Cultural?

Bia Maia- arquiteta – Bragança + e Coletivo Socioambiental