Colunistas

O papel da Educação Ambiental Informal

publicado em 16 de outubro de 2018 - Por Ambiente em Pauta

Transpor os limites de sala de aula ou seguir em conjunto com o sistema educacional, utilizar de espaços, lugares, grupos e ocasiões pertinentes, assim é disseminada a educação ambiental informal acompanhada de agentes dispersores de conhecimento e informação com o intuito de provocar de forma coletiva um “pensamento crítico e inovador, promovendo a construção e transformação da sociedade” (Franco, 2012, p.17).

A Educação Ambiental parte do princípio da ampla abordagem socioambiental que envolve olhares sociais, ambientais, econômicos, culturais e políticos para diagnosticar e caracterizar problemáticas abordando causas e efeitos associados, resultando no entendimento e propondo formas de melhoria e soluções.

Este tipo de abordagem possui o diferencial de convidar a sociedade para participar junto, dialogar, trocar experiências, não se limitando a conceitos pré-estabelecidos, permitindo sempre um novo olhar e uma nova perspectiva sobre um assunto talvez já muito abordado, mas com características distintas dependendo do enfoque que a sociedade participante apresenta.

Assim é caracterizada a forma de propagar conhecimento, informação e educação ambiental do Coletivo Socioambiental e Associação Bragança Mais, disseminando a Educação Ambiental através de ações, como:
– Expedições Fotográficas, na quais o local e o assunto são definidos, mas são os participantes que direcionam seu olhar particular para o “ângulo” que o chama mais a atenção, enriquecendo a discussão coletiva durante e após a expedição;

– Cines Debate possibilitando aproximar a sociedade de um debate socioambiental rico e coerente sobre assuntos apresentados em filmes e vídeos;

– Feiras de Troca sustentável, promovendo o princípio da economia solidária e o consumo consciente de produtos;

– Realização de Eventos Ambientais, como mesas redondas e simpósios abertos para o público em geral, a fim de discutir assuntos pertinentes ao momento e a região;

– Cursos de Protagonismo Socioambiental, com o intuito de estimular nos participantes a cidadania, o envolvimento em assuntos e ações sociais, colaborando na construção de uma sociedade consciente e sustentável;

– Atividades de observação de aves urbanas, estimulando a preservação e proteção da fauna e flora, podendo ampliar o olhar para as intervenções humanas realizadas em um determinado local, resultando na mudança dos hábitos das aves;

– Produção semanal de artigos para a Coluna Ambiente em Pauta onde são apresentadas informações sobre o Coletivo e Associação, sobre assuntos do cotidiano, fatos históricos, datas ambientais comemorativas entre outros.
Percebe-se a importância de oferecer opções de caráter educacional para a sociedade, na qual ela não tenha que se limitar apenas no ciclo escolar, mas que tenha possibilidades de continuar sua evolução e formação educacional junto com a sociedade, contando com uma educação informal crítica, evolutiva e ampla.

Para saber mais
FRANCO, Maria Cristina Muñoz. Educação Ambiental – Um sonho que se sonha junto: Conhecimento, reflexão e ação coletiva. Bragança Paulista: ABR, 2012. 69 p. Raquel da Silva Pinto, Engenheira Ambiental e Sanitarista, colaboradora do Coletivo Socioambiental e Associação Bragança Mais