Colunistas

O atuar ambiental

publicado em 8 de outubro de 2019 - Por Ambiente em Pauta

Em meio a reflexões, conversas, indagações e crises o pensar se forma, por meio desta começa a se fazer presente e necessário o atuar frente a tantas questões ambientais mal resolvidas no mundo e em especial no Brasil, precisamos dialogar sobre isso no ponto de ônibus e nas assembleias.

Ficar estagnado ou só ir na onda não está nos ajudando a trazer mudanças significativas para o nosso viver individual e coletivo, os casos de depressão só aumentam, os casos de suicídio se proliferam, crises de ansiedade tomam conta das cidades e pouco a pouco vamos perdendo nossa força de atuar individualmente e principalmente em coletivo, algo realmente necessário.

O mundo não passa bem e nós apenas estamos dizendo para ele “vai ficar tudo bem” sem de fato atuar para que isso aconteça pelo menos não em grande escala, muita calma ambientalistas de plantão, nossa atitude mesmo que fragmentada e pequena é super importante para que mudanças maiores se somatizem, porém precisamos reunir todas essas forças para trabalharem em conjunto da transição que está chegando com toda beleza espiritual e ambientalmente.

Entre no nosso barco da salvação rumo a sociedades sustentáveis, mas para isso precisamos arregaçar as mangas, dar as mãos e trabalhar junto em prol do planeta Terra.

Sejamos empáticos em olhar nosso próximo com mais amor, oferecer ajuda, trabalhar e continuar criando projetos que tragam mudanças transformadoras e felizes para todos e acima de tudo ter a paciência como companheira de vida para ajudar aqueles que ainda não fazem parte do movimento.

Todos nós juntos temos a força que precisamos para a mudança acontecer, que toda essa energia criadora de memes e besteirol que circulam nas redes possam trabalhar a favor dessa transformação. Que possamos estar abertos a ser facilitadores e que nos deixem facilitar o conhecimento.

Portanto, que ao compreender e aprender mais sobre as questões sociais e ambientais que precisamos melhorar, tenhamos muita força e coragem para enfrentar os desafios com muita persistência e resignação. Não precisamos estar sozinhos nessa e muito menos desistir por parecer difícil demais, a mudança mora na nossa resistência. Vamos “utopizar” mais sobre o mundo que queremos construir juntos nos cafés, bares, parques e nos lugares mais improváveis que frequentamos. Atuando localmente, estamos agindo globalmente.

Laíza Teixeira Pedroso, Tecnóloga e Educadora Ambiental, colaboradora do Coletivo Socioambiental e Associação Bragança Mais.