Colunistas

Não é agora

publicado em 9 de fevereiro de 2019 - Por Marilene Glaber

Espere um pouco

Ainda não.

Não é agora que vai pintar

O encontro é mais tarde

Bem à tardinha

Ou talvez de manhãzinha

Logo que a gente acordar.

Deixe o telefone esperto

O portão entreaberto

Ou vem aqui me chamar.

Olhe ali aquela árvore

De florzinhas amarelas

Bem perto da minha janela

Que é pra eu contente ficar.

Na esquina tem uma lojinha

Com inúmeros brinquedinhos

Que a gente pode comprar

E depois distribuir

Pras crianças espalhadas

Pelas ruas e calçadas.

Vamos fazer um tratado

Eu fico aqui cozinhando

Você fica me esperando

E depois a gente entrega

Os quitutes que eu fizer

Para toda a meninada.

Agora sim vai valer

As crianças vão comer

E enfim se deliciar.