Colunistas

Morcegos

publicado em 7 de julho de 2018 - Por Marcus Valle

Nas proximidades da Escola Municipal Professor Nelson Carrozzo e do Posto de Saúde, na Rua Pará, no Parque dos Estados, ao anoitecer estão surgindo dezenas e dezenas de morcegos, que entram em garagens e vão em direção aos transeuntes.

É algo que tem que ser verificado. Os hematófagos (que se alimentam de sengue) são raros (2%), insetívoros são 70%, de frugívoros 28%, mas onde há gado bovino eles aparecem. Podem transmitir raiva.

2 – Boa notícia

Caçambeiros serão fiscalizados para que não haja descarte ilegal de entulhos em locais inadequados. Essa foi uma reivindicação da Comissão de Justiça e Meio Ambiente da Câmara Municipal (vereadores Marcus Valle, Marcolino, Basílio, Ditinho Bueno e Claudio Moreno). Prefeitura, através da Secretaria do Meio Ambiente e Promotoria de Justiça determinaram.

3 – Substituição preocupa

Secretário de Mobilidade Urbana, Manoel Botelho, deixa o cargo para assumir outro mais graduado no governo estadual. Perguntamos: haverá continuidade em seu trabalho?

A prometida passagem de pedestres elevadas e protegidas em frente à Vitrine do Lago será feita? O prazo anunciado já passou.

E o semáforo no cruzamento da Alameda Quinze de Dezembro com a Rua Rinzo Aoki (próximo ao Tanque do Moinho)? É o cruzamento mais perigoso do município. Será levado adiante?

4 – Ação rápida

Prefeitura demoliu na semana passada, construção irregular que estava se iniciando em Área de Preservação Permanente (APP). Está corretíssimo.

Tem que agir rapidamente. Depois que a situação se consolida, vira problema jurídico, e depois… social.

5 – Obras atrasadas

E as obras no município? Na Praça Central e na Praça Nove de Julho. Por que não andam?

Ora é uma desculpa, ora é outra. A verdade é que esses atrasos desgastam em muito a administração.

6 – Colégio São Luiz

No prédio do antigo Colégio São Luiz são comuns as notícias sobre a continuidade das obras de reforma, restauração e transformação num Centro Cultural. Mas… além dos anúncios… nada há de concreto… ninguém está trabalhando no local.

Enfim… todos perguntam… saem ou não saem as obras?

7 – Estação errada

Impressionante. Durante muitos anos, nas administrações passadas, era comum o atraso na entrega dos uniformes escolares. As críticas eram constantes (e justas), afinal, não parecia tão difícil entregar o material no momento adequado. A rádio ligada ao Grupo Chedid era a que mais criticava. Pois bem… mudou o governo, e até agora esse simples problema não se resolveu.

8 – Cresce o número de motos

No Brasil temos cerca de 26,5 milhões de motocicletas e 54 milhões de automóveis. Em vários estados do Norte e Nordeste, as motos são maioria. Em Bragança Paulista temos muitas motocicletas, perto de 30 mil. O trânsito é mais rápido para esse tipo de veículos (assim como para a bicicleta), mas o número de acidentes é muito maior, e de maior gravidade.

9 – Medo é irracional

As pessoas têm medo de coisas que embora aparentemente assustadoras são raras… de possibilidade remotas. Noutro dia, por curiosidade fui conferir alguns dados: mortes no Brasil, estatística por ano. Por ataques de tubarão 3, abelhas 40, cães 10, serpentes venenosas 300, vítimas de raios 100. Em compensação temos 6.500 mortes por afogamento, 42.000 no Trânsito e 62.500 por homicídios.

10 – Árvores mutiladas

Verdadeira destruição de árvores, a “poda drástica” realizada em alguns locais (Rua Santa Clara, José Guilherme etc.). Dessa forma elas são praticamente destruídas, não se regeneram.

11 – Multas

Muita gente está sendo multada nas proximidades da Praça Nove de Julho, local onde o trânsito está ruim e necessita de orientação. Muitas autuações por uso de celular na direção do veículo, que é infração prevista no Código de Trânsito.

Cuidado… celular não deve ser usado enquanto dirige… o valor da multa aumentou.

12 – Folclore: “Errou no lugar”

Viagem de navio. Cruzeiro single (de solteiros). Três amigos de Bragança foram juntos, e lá encontraram um cara de Atibaia, homem simples, que passou a acompanhá-los. Na piscina, três mulheres jovens bonitas (eram duas juízas e uma promotora de Justiça). Nisso, o cara de Atibaia olha o cardápio, chama o garçom e manda um vinho para as moças. Ele avisa os três novos amigos, que ficam surpresos.

Quando o vinho chega, as moças estranham, mas o cara levanta e grita:
– Eu que mandei… é um vinho de 300 reais… vocês merecem.

Os três quase se esconderam embaixo da mesa.