Colunistas

Mobilizações locais para mudanças globais

publicado em 24 de setembro de 2019 - Por Ambiente em Pauta

Ação, mobilização e participação. Simples palavras, mas que ligadas ao ato são capazes de transformar e incentivar causas, pessoas e lugares. Mobilizações são extremamente importantes para provocar a percepção e conscientização ambiental, repensar nossos hábitos diários e promover diálogos para ampliar a compreensão sobre os impactos de nossas atitudes. Como exemplos de mobilizações, destacamos duas que ocorreram neste final de semana.

Na última sexta-feira, 20 de setembro, ocorreu o início da terceira Greve Global Pelo Clima, inspirada no movimento ‘Fridays For Future’ (Sextas-feiras Pelo Futuro) promovida pela ativista Greta Thunberg, adolescente sueca de 16 anos. Tal mobilização possui como objetivo a exigência de medidas concretas contra as mudanças climáticas, além de cobrar ações contra as queimadas na Floresta Amazônica.

A ação, promovida em 150 países, também chama a atenção para o início da Cúpula do Clima, organizada pela Organização das Nações Unidas (ONU), que ocorreu de 21 a 23 de setembro em Nova York-EUA. Tal evento envolveu duas conferências, entre elas no sábado (21), a Cúpula da Juventude pelo Clima, com a participação de mais de 500 jovens líderes de movimentos contra o aquecimento global, provenientes de 140 países.

O Brasil foi representado por ativistas. Entre eles, a líder indígena Artemisa Barbosa Ribeiro, que defende os direitos de seu povo, e o estudante de Engenharia Ambiental João Henrique Alces, destacado por ser um dos 100 jovens “campeões do clima” que receberam o chamado “tíquete verde” da ONU.

Outro evento de mobilização e conscientização ocorreu no sábado, 21 de setembro: Dia Mundial da Limpeza. Organizada pela fundação ‘Let’s Do It’, mais de 1200 cidades brasileiras e 157 países se mobilizaram para chamar a atenção sobre a problemática da poluição. E, é claro, Bragança Paulista não ficou de fora!

A ação organizada pelo movimento Plogging Bragança Paulista ocorreu na Praça Raul Leme e ruas próximas, contando com voluntários e parceiros que acreditam na mesma causa. Através destes dois exemplos de mobilização ocorridos em um final de semana, podemos perceber os impactos positivos que podemos causar em nossa sociedade quando levantamos nossa voz e agimos pela transformação que queremos ver e ter no mundo.

Vale lembrar que todos os dias podemos, e devemos, promover ações de impactos positivos em nossas atividades rotineiras ou em outras circunstâncias, não dependendo apenas de grandes mobilizações. Simples atitudes diárias também impactam, sensibilizam e conscientizam!

Raquel da Silva Pinto, Engenheira Ambiental e Sanitarista, colaboradora do Coletivo Socioambiental e Associação Bragança Mais.