Colunistas

Mais homens no Conselho

publicado em 23 de fevereiro de 2019 - Por Marcus Valle

O Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, que antes tinha 12 membros, 6 da Prefeitura e 6 da sociedade civil, foi alterado por projeto de lei. Eram 9 mulheres e 3 homens, a composição. Agora serão 14 membros, só que pela lei serão 7 mulheres e 7 homens.

Votei contra a alteração. Acho que um Conselho de Direitos da Mulher tem que ser composto pela maioria de mulheres.

Mas a Câmara aceitou as alterações por 13 votos a 4. Só votaram contra, eu, Quique, João Carlos e Moufid.

2-Piscinão: bom…mas

É bom que a prefeitura tenha adquirido por desapropriação a área de terreno em frente ao Anglo (na Rua Francisco Luigi Picarelli), local onde havia em lago quase todo assoreado. Objetivo é fazer um “piscinão” no local para conter as enchentes.

O objetivo é ótimo. Mas como existe uma Ação Civil Pública sobre a propriedade e o proprietário (por aterrar parte do lago), e no direito penal vige o princípio de que o adquirente assume os ônus ambientais da propriedade (propter rem), como fica essa questão? O fato da área ser em grande parte APP, só permite sua utilização mediante licença para utilidade pública e interesse social, foi considerado no preço?

3-Tanque do Moinho

Na última sexta-feira, durante 1 hora remei 5,1 km (medidos por GPS) no Tanque do Moinho em barco de alumínio. Na ocasião observei dentre outras coisas: 1) há pessoas pescando com redes e tarrafas; 2) há vários pontos de assoreamento no lago; 3) a construção do Centro de Turismo (com o ECOA) está paralisada e se deteriorando; 4) há lixo nas águas (em pequena quantidade); 5) há fauna abundante, aves como socó, martim pescadores, jaçanã, paturi, tintureiro, frango d’ água, garça, biguá, quero-quero etc, além de capivaras, lontras e ratos do banhado.

4-Suicídio

A revista Piauí de fevereiro publicou excelente reportagem sobre causas, estatísticas e discussões sobre suicídios. São cerca de 12 mil casos por ano no Brasil, mais de 70% cometidos por homens.

Vale a pena ler a reportagem, que fala do estresse, das cobranças, das redes sociais etc.

5-Trânsito infernal

O trânsito em Bragança, que já não era bom (são mais de 100 mil veículos), ficou horroroso depois das alterações na Praça 9 de Julho, e substituição de rotatórias por semáforos na Av. dos Imigrantes.Engarrafamentos, lentidão e voltas desnecessárias irritam constantemente aos motoristas.

Qual a solução? Por incrível que possa parecer, a alternativa menos ruim é voltar a ser como era antes (rotatórias, saída pelo lago etc.).

Enfim… melhor “voltar atrás”, que persistir no erro.

6-Taxa de Lixo

A Taxa de Lixo revoltou grande parte dos contribuintes bragantinos, devido ao aumento de 54% (infração de menos de 5%). Além do valor ser exagerado, fica a pergunta: – é legal o aumento?

Depois de pesquisarmos com profissionais da área, entendemos que se a prefeitura ao fazer o cálculo dos custos somou o valor da coleta (que é legal) com a da varrição das ruas (que é ilegal), a taxa é contestável.
Fizemos pedido de informações para saber se a “varrição” foi indevidamente acrescida nos cálculos.

7-Promessas de estradas

O governador Dória prometeu na campanha fazer as obras de duplicação das estradas Bragança-Socorro, e Bragança-Itatiba, promessas essas anunciadas e não cumpridas por seus antecessores.

8- Ciclovias

Ciclovias deveriam ser implantadas no município.

Há anos pedimos isso. Hoje temos mais de 5 mil pessoas usando regularmente a bicicleta em nosso município. A prefeitura deveria se empenhar tentando obter verbos federais e estaduais (Ministério das Cidades e DADE) para implementar essa opção de transporte.

9- Locais turísticos

Continuo insistindo que temos 2 locais com ótimo potencial turístico e de lazer em nosso município, mas que pertencem a particulares. Áreas da Montanha do Leitesol, e Usina da Mãe dos Homens nas margens do rio Jaguari. A Prefeitura poderia adquirir esse locais por permutas, sem dispor de dinheiro público.

10- 13º? Aqui não

Algumas Câmaras Municipais, na contramão da história, e desrespeitando o momento delicado de nossa economia, instituíram através de lei, o 13º salário (subsídio) a seus vereadores. As pessoas nos perguntam, e eu faço questão de esclarecer. Aposentadoria especial (com 12 anos de mandato) ou esse absurdo 13º, não existem em nossa Câmara.

11-Folclore: “matando e não morrendo”

Desde que Jesus Chedid começou a fazer política em Bragança, muita gente especula sobre sua saúde. Isso ocorre há 30 anos.

Ultimamente, as especulações aumentaram, com as licenças médicas que ele “tirou” durante o mandato.
Na semana passada ele voltou à ativa, e teve durante a reunião com empresários e corretores locais (sobre um genérico decreto) duas discussões com participantes, e nelas chegou a gritar e dar tapas na mesa.

Um dos participantes me disse cochichando, de gozação: – Diziam que ele tava morrendo… mas acho que ele está é matando.