Colunistas

Líder tá chateado

publicado em 16 de março de 2019 - Por Marcus Valle

Vereador Paulo Mário, líder do prefeito na Câmara, ficou chateadíssimo com algumas pessoas da administração, que não divulgaram (e atribuíram ao deputado) a sua ação de sempre conseguir fresa (raspa de asfalto usada em manutenção de estradas rurais) junto à Arteris (empresa do setor de concessão de rodovias). O edil se sentiu enganado, desautorizado e desprestigiado.

2 – Museu: reforma?

O Museu Municipal continua com prédio sem as reformas necessárias. Forro com problemas, infiltrações etc. e… nada de providências.

3 – Festa do Peão

Agora teremos a “Festa do Peão”, sucesso de público e lazer, mas um fracasso econômico para a comunidade (sai muito mais dinheiro do município do que entra). Todo o dinheiro arrecadado na festa (venda de camarotes, ingressos, aluguel do espaço, venda de bebidas aos barraqueiros a preços altos, estacionamento etc.) fica para a empresa. Durante a festa, e nos dias subsequentes (efeito ressaca), muitos setores do comércio e serviços sofrem queda de movimento e arrecadação.

Se não mudarem o esquema, aumentando a participação dos bragantinos, e as compras serem feitas em nosso município (tudo vem de fora e é revendido aos barraqueiros) continuará a sangria de nossa economia.

4 – Mudança de itinerário dos blocos

Muitas pessoas apoiaram nosso pedido de mudar o itinerário de blocos carnavalescos (no pré-carnaval), que atualmente saem da Praça Central e vão até o Taboão, para o sambódromo. O atual itinerário não comporta 20 a 30 mil pessoas. O sucesso do público exige a mudança.

5 – Governador promete estradas

Governador João Dória, veio a Bragança e foi recebido com pompas pela administração municipal (até aí, tudo certo, a prefeitura tem que ter bom relacionamento com os governos do Estado e da União).

Mas foi anunciada uma série de “futuras obras” para Bragança, tais como as lendárias e prometidas duplicações das estradas Bragança – Socorro e Bragança – Itatiba. Essas promessas e anúncios ninguém mais acredita.

6 – Estrada da Serrinha

A estrada de acesso ao Bairro da Serrinha, na estrada Bragança – Piracaia é um absurdo. Para ser acessada, os motoristas que vêm no sentido Bragança –Piracaia, têm que invadir a contramão (pois não há acostamento). No outro sentido, os motoristas que vêm no sentido Piracaia – Bragança têm que reduzir em muito a velocidade, parar e invadir a contramão do acesso, pois há um grande declive.

7 – Lixo plástico

O plástico é um dos maiores poluidores do Meio Ambiente, especialmente dos oceanos.
Ele leva mais de 300 anos para se autodecompor. A quantidade que é descartada em solo, mares e rios causa enorme estrago.

O pior é que a reciclagem – reutilização – é mínima no Brasil. O Brasil é o que menos recicla entre os quinze maiores poluidores, apenas 1,28%, é o quarto maior poluidor por plástico, só perde para EUA, China e Índia. Ou seja, situa-se no pior cenário do ranking elaborado pela WWF. Em outros países a reciclagem é bem maior: EUA 34,6%, China 21,92%, Índia 5,7%, Alemanha 37,94% e Coreia do Sul 58,53%.

Em função disso, muitas campanhas e leis estão sendo criadas para reduzir sua utilização (sacolas, canudos etc.).

8 – Taxa de lixo

A Prefeitura Municipal, respondendo a pedido de informações que fizemos sobre o aumento do valor da taxa de lixo, garantiu que o valor gasto com varrição das ruas não foi incluído (e somado) com o da coleta, o que tornaria a taxa ilegal. Respondendo a pergunta que fizemos, o secretário de Finanças, Luciano Lima, esclareceu que a Prefeitura arrecadará de 4 a 5 milhões a mais este ano, adotando o Código Tributário (ao invés da simples correção monetária).

9 – Rápidas

1 – Moradores do Jardim Primavera reclamam de falta de limpeza e conservação no bairro. Dizem que nos bairros vizinhos a limpeza está sendo feita.

2 – Solicitamos (eu e a vereadora Beth Chedid) junto ao DER, a instalação de faixa de pedestre na Avenida Dom Pedro I, próximo ao supermercado Spani.

10–Folclore: “vai sobrar”

Um amigo (R.) me contou uma história inusitada. Ele disse que estava sozinho numa loja e nisso entrou uma moça que ele não via há anos, haviam estudado juntos na década de 90, quando crianças, e ele a reconheceu e perguntou:
– Como vai você? O que anda fazendo?

A moça começou a desabafar, disse que tinha um grande problema, pois tinha acabado de sair de um relacionamento superconturbado, e que seu ex-marido era muito ciumento e agressivo, e não se conformava com a separação, a seguia, e quando a via conversando com outro homem partia pra cima dos dois, sem perguntar nada.

R., que tem horror a violência, nunca brigou na vida, disse que abreviou a conversa e saiu rapidamente da loja.
Disse: – Só faltava o cara ter seguido ela… ia sobrar pra mim.