Colunistas

Lago do Orfeu

publicado em 12 de setembro de 2020 - Por Marcus Valle

Os moradores do Jardim Europa e imediações se reuniram nas margens do lago do Orfeu, no feriado, para protestar contra possível corte de 48 árvores no local (para reparos da barragem). Eles são favoráveis a que se conserte (ou reforme) a barragem, mas querem um projeto técnico menos impactante.

2 – Equipamentos de saúde

A Secretaria de Saúde faz um constante trabalho de fornecer medicamentos e equipamentos à população. Mas sempre há fatos e casos pontuais, que saem da rotina.

Por exemplo: as sondas vesicais, em alguns pacientes (inclusive com paraplegia) causam irritação e infecção. O ideal seria um equipamento diferente (cateter ou sonda hidrofílica – já lubrificada). Há informações que o Estado poderia fornecer tal material, o que seria uma excelente opção.

3 – Pandemia

Muita discussão sobre o que deve ser permitido ou proibido na pandemia. São realizados protestos, muitas pessoas querem as atividades normalizadas, outros insistem que o perigo continua.

Não é uma questão de pesquisa, é uma questão cientifica, técnica.

É paradoxal vermos praias e ruas lotadas, com enormes aglomerações, enquanto escolas e outras atividades estão proibidas.

Como bem disse o leitor Gerson Silveira, em relação a essas últimas aglomerações nas praias e ruas no feriadão, veremos os números daqui 15 a 30 dias (tempo da infecção e reação nos organismos).

Daí dará para constatar até que ponto isso (aglomerações) são causadoras de contágios.

4 – Ônibus

Continuam alguns problemas pontuais com ônibus circulares em Bragança, na pandemia.
Sabemos que deve ser um momento péssimo para a empresa, pois caiu o número de passageiros.
Mas temos casos em que para não haver aglomerações (o que é correto), deixam as pessoas no ponto ao invés de providenciar outro veículo para compensar.

Muita gente reclama que está se atrasando no trabalho. Prefeitura precisa fiscalizar.

5 – Secretário

O secretário do Meio Ambiente, Alex, por questões pessoais (saúde) pediu exoneração. Ele fez um excelente trabalho na pasta, em que pesem as verbas pequenas e os excelentes funcionários terem sobrecarga de trabalho devido à falta de veículos, contingente e recursos maiores.

6 – Bom time

O nosso “Bragantino”, hoje denominado “Red Bull” e que já tem o uniforme da empresa, é super organizado, muito mais profissional que o antigo “Braga”.

O plantel é bom, há infraestrutura e espera-se (ou esperava-se) que o time se classifique entre os dez primeiros (não campeão, mas entre o 8º e 10º colocado).

Mas… no começo a equipe tem derrapado. Está na zona de rebaixamento.

7 – Dica de revista

Gosto muito da Revista Piauí, mensal, que tem excelentes reportagens e artigos sobre assuntos gerais (política, saúde, meio ambiente e assuntos atuais). Seus artigos são longos, mas bem escritos. Sua tiragem, de 40 mil, é para um público cativo.

8 – Folclore

Sempre, desde criança, fui distraído, e em função disso já fiz coisas engraçadas (levar chaves dos outros, vestir roupa de outrem, trocar nomes, esquecer objetos etc.). Estou contando isso para que não achem que a história que vou contar é sinal de senilidade.

Na semana passada, fui levar meu cachorro Akyta, Robin, passear na rua de casa. Como sempre faço as coisas correndo e automaticamente, resolvi desta vez ir aos poucos, para não esquecer nada. Fui por fases.
Passei protetor solar, peguei óculos escuros, a máscara (que às vezes esqueço), as chaves do portão, o boné e a coleira do cão.

Quando cheguei no portão, ouvi o Robin “ganindo” e latindo ansioso.

Pensei… Nossa! Esqueci o cachorro.

Como só cheguei ao portão, é fruto do meu normal desligamento (noutra vez esqueci a bicicleta… até o portão também). Se eu tivesse saído e andado mais de um minuto, seria caso de tratamento, admito.