Colunistas

Dueto de “O Pescador de Pérolas” Georges Bizet (1838-1875)

publicado em 17 de outubro de 2019 - Por Odila Baisi

“Não havia nem pescadores no libreto nem pérolas na música. O Pescador de Pérolas deixa transparecer a cada página, ao lado do talento do compositor, a tendenciosidade da escola a que ele pertence, a de Richard Wagner”.

Assim escreveu um crítico parisiense depois da estreia da ópera de Georges Bizet, então com 24 anos, em 1863. Mal previa ele a grandeza que ambos os compositores alcançariam.

“O Pescador de Pérolas” acabou encontrando um público, mesmo que nunca se haja tornado uma obra constante no repertório. E este primoroso dueto – uma das pérolas que não conseguiram abrandar o amargo crítico – tem poucos rivais em seu perfeito encanto.