Colunistas

Duas conhecidas obras de Piotr I. Tchaikovski

publicado em 19 de outubro de 2018 - Por Odila Baisi

A sexta Sinfonia de Tchaikovski foi composta em 1893 e estreada em 16 de outubro do mesmo ano sob a direção do próprio compositor. Uma semana mais tarde, ele faleceu.

E esta circunstância fez com que a crítica decidisse que o tema desta obra era biográfico e que o compositor descrevera nela o final tão próximo. Mas essa tese perdeu, há algum tempo, todo o fundamento: com efeito, Tchaiikovski viu-se empurrado ao suicídio, dado ter de comparecer perante um juiz de honra por um assunto relacionado à sua homossexualidade. Mas a história julgou mais decente esquecer o suicídio e proclamar que a morte foi produzida pela cólera.

O desenvolvimento da sinfonia e o lugar excepcional do seu movimento lento, situado na última posição, deixam entrever o início de um drama, realizado em quatro episódios: Exposição, Diversão, Precipitação e Lamentação, mas sem que se saiba de que drama diferente do musical se trata.

Tchaikovski foi também o criador da conhecida obra “Romeu e Julieta”, entre a composição das suas duas primeiras sinfonias. É muito frequentemente considerada a sua primeira obra-mestra.

A esta obra, que narra de forma enfática, é belissimamente expressiva a famosa relação passional dos amantes de Verona, Romeu e Julieta, criados por Shakespeare, pertence uma das melodias mais sugestivas e imaginativas de Tchaikovski.