Colunistas

Charles Camille Saint-Saëns – (1835 – 1021)

publicado em 5 de outubro de 2018 - Por Odila Baisi

O compositor francês nasceu a 09 de outubro de 1835. Foi organista, maestro e pianista. Seus trabalhos mais conhecidos incluem “Introdução e Rondó Capricioso”, “Segundo Concerto para Piano”, “Primeiro Concerto para Violoncelo”, “Dança Macabra”, a ópera, “Sansão e Dalila”, “Terceiro Concerto para Violino” e o “Carnaval dos Animais”. Saint-Saëns foi um prodígio, fez seu próprio concerto musical com apenas 10 anos de idade.

Depois de estudar no Conservatório de Paris, seguiu uma carreira convencional como organista de igreja em Paris, e em 1858, “La Madeleine”, a Igreja Oficial do Império Francês. Após vinte anos atuou como pianista e compositor na França, Europa Continental, Império Britânico e Américas.

Na sua juventude se entusiasmava com as obras de Schumann, Franz Liszt e Richard Wagner e por isso suas composições eram geralmente compostas em estilo tradicional clássico. Estudou História da Música e continuou interessado na estrutura trabalhada pelos compositores franceses. Além disso, existiam elementos neoclássicos nas suas músicas, prenunciando trabalhos de Stravinsky e Les Six. Ele foi considerado como um comumente conservador anos antes e depois da sua morte.

Trabalhou como professor por quase cinco anos na École de Munique Classique e Religieuse em Paris. Teve um grande destaque no desenvolvimento da música francesa. Foram seus alunos, entre outros, Gabriel Fauré e Maurice Ravel, estes, muito influenciados por Saint-Saëns, a quem reverenciavam como um gênio. Saint-Saëns faleceu em 16 de dezembro de 1921.