Colunistas

Aumento de salários

publicado em 7 de dezembro de 2019 - Por Marcus Valle

         Um projeto de lei que pretendia aumentar o salário dos secretários municipais de 12,1 mil para 14,1 mil mensais, causou grande polêmica e confusão.

A confusão é que muita gente, ao ler as notícias de forma precipitada, achou que se tratava de reajuste no subsídio dos vereadores. Tivemos que esclarecer isso por várias vezes nas ruas.

Mas quanto aos salários dos Secretários Municipais, o argumento dos autores do projeto é que esses cargos, pela alta complexidade e nenhuma estabilidade (são cargos políticos e sujeitos a pressões), são difíceis de preencher. Sim, pois eles equivaleriam a de um executivo numa empresa, e na iniciativa privada, o salário é muito melhor. Nesse caso só iniciantes ou aposentados é que seriam atraídos.

Embora o argumento seja racional, entendemos que o atual momento do país e da economia não recomenda um reajuste de 17%, já que várias outras profissões e categorias estão com vencimentos defasados. Por isso é que não votamos a favor.

2 –Pode desbarrancar

          Outro assunto polêmico é a “limpeza” que está sendo feita no ribeirão do Lavapés, no trecho da Av. dos Imigrantes, após a praça do Matadouro. As obras se iniciaram, foi tirada toda vegetação das margens, e isso gerou preocupação.

Vários vereadores (eu, João Carlos e Basílio) se manifestaram.

Em reunião na Prefeitura com secretários municipais (Obras, Jurídico, Meio Ambiente e Serviços) me foi esclarecido que iriam, brevemente, repor vegetação nas margens para evitar erosão, desbarrancamentos e assoreamento do leito do ribeirão por terra.

A época de chuvas chegou, mas até agora não houve o plantio da vegetação ciliar.

3 – Cuidado com o que publica

          Muita gente, ao fazer postagens na internet, não toma os devidos cuidados com o conteúdo.

É fato que muitas empresas, antes de contratar ou fazer negócios com alguém, verifica o que a pessoa faz, e uma das verificações são as postagens feitas nas redes sociais.

Quando se observa preconceito, extremismos, agressividade, odiosidade, ou falta de ponderação, a pessoa pode perder a vaga de emprego, ou ser demitida.

Mas não é só isso. Relações comerciais e profissionais podem ser prejudicadas, isso sem contar até prejuízos às relações pessoais (amizades, ou possíveis relações sentimentais).

Não bastasse tudo isso, pode haver processos criminais, ou de indenizações, na área civil.

4 – Amazônia: reportagens científicas

          A revista mensal científica “Pesquisa Fapesp” número 285, dentre várias reportagens interessantes, aborda a questão da Amazônia (importância, desmatamento, queimadas, dados, alternativas e características). São artigos e editorial, todos eles de cientistas e pesquisadores renomados: “Desafios da Amazônia” (Alexandra Ozorio de Almeida); “A Floresta da Chuva”; “As duas Amazônia” (Marcos Pivetta); “De Pé na Floresta” (Maria Guimaraes e Paulo Moutinho); “Crescer sem Destruir” (Ricardo Zorzetto); “A Rede da Riqueza Natural” (Lauro Barata); “Estados Vizinhos Economias Diferentes” (Ricardo Zorzetto).

Ao ler esses artigos e reportagens, observa-se de forma científica a grande importância da floresta (60% no Brasil e 40% em outros países).

5 – R$ 157 mil de dentista

          Um dos casos mais revoltantes de uso de dinheiro público foi recente. O deputado federal Marco Feliciano quis receber R$ 157 mil que gastou com dentista (ele diz que sofria de bruxismo). Discutiram e pagaram em agosto, com autorização da Mesa da Câmara.

Dizem os piadistas que 7 mil foi do tratamento dentário, e 150 mil a título de insalubridade.

6 – Trânsito, vagas e ciclovia

           Trânsito continua horrível. Comerciantes e prestadores de serviços do Lago do Taboão e da Rua Teixeira estão penando com a falta de vagas de estacionamento. Em alguns casos há 40% de queda no movimento. Sempre fui favorável a ciclovias na cidade, como opção barata e saudável de transporte. Essa ciclovia que será feita nas margens do lago, tirando as vagas de estacionamento, não é um pleito meu.

7 – Rápidas

1–Conforme levantado na Comissão de Meio Ambiente, e é reclamação constante, não há recipientes de lixo nos parques, praças e locais de movimento, em Bragança.

2 – Continua sem providências o cruzamento da XV de Dezembro com a Rinzo Aoki (perto do campo de futebol ao lado do Tanque do Moinho). Perigosíssimo. Prefeitura e DER não resolvem. Um alega que é atribuição do outro.

3 – Recebemos reclamações (justas) de comerciantes da Avenida José Gomes da Rocha Leal sobre constantes alagamentos. Eles relatam que por diversas vezes já pediram providências na Prefeitura, mas até agora nada.

Esse problema já vem de anos, toda vez que chove um pouco mais alaga determinados pontos da avenida. Isso precisa ser resolvido definitivamente.

8 – Folclore: “seletivo”

          O Marcelão sempre foi muito nervoso, mas preferia nas suas explosões quebrar objetos para não bater nas pessoas (era o que dizia).

Eu cheguei a assistir umas três dessas explosões. Uma vez ele jogou um prato com macarrão no chão, noutra um vaso que virou centenas de cacos. Ele dizia que não conseguia se controlar.

Num churrasco em sua casa, ele teve uma discussão feia com o irmão e, nervoso, pegou na mão um rádio novinho que havia comprado, e ia jogar. Nisso ele parou… recolocou o rádio na mesa, pegou a jarra de chope e atirou no chão.

Não aguentei e disse:

“Surto seletivo”.