Colunistas

Adolph C. Adam (1803-1856)

publicado em 5 de setembro de 2019 - Por Odila Baisi

Alsaciano de origem, (de Alsácia, na França) Adolph C. Adam ingressou no Conservatório de Paris em 1817. Muito cedo obteve o segundo grande prêmio de Roma, galardão que destacava já o seu talento. Mostrou-se como compositor fecundo: 53 obras líricas e balés. Escrevia, sem dúvida, com grande facilidade e a sua música pode distinguir-se pela clareza de traço e simplicidade. Suas obras atravessaram diferentes estágios de popularidade.

Algumas, antes famosas, caíram hoje no esquecimento. Outras como “Si J’étais Roi” ( Se eu fosse rei), a que pertence a abertura da obra , continua formando parte do repertório de companhias francesas e alemãs. A sua obra mais universal, no entanto, é ainda “Giselle”, o romântico balé que continua a inspirar dançarinos e coreógrafos de todo o mundo.

“Giselle” é um balé romântico em dois atos. Foi inicialmente interpretado pela Ópera Nacional de Paris em 1840 e tornou-se muito popular, tomando os palcos da Europa, Rússia e Estados Unidos.