Colunistas

A escravidão contemporânea

publicado em 9 de abril de 2019 - Por Ambiente em Pauta

Quando falamos de trabalho escravo pensamos em algo muito histórico, antigo, ultrapassado, uma barbaridade, não é mesmo? Pois é, mas infelizmente isso ocorre ainda em muitos lugares no mundo, até mesmo aqui no Brasil. De acordo com a OIT (Organização Internacional de Trabalho) a estimativa feita em 2012, é de que existam ainda 21 milhões de escravos no mundo.

No Brasil, essa atividade ilegal acontece em áreas como a pecuária, produção de carvão, cultivo de cana de açúcar, indústria têxtil e construção civil. Esse ciclo infeliz se dá a partir de condições socioeconômicas vulneráveis, onde as pessoas precisam sustentar suas famílias e sobreviver, diante de condições básicas inalcançáveis e acabam por serem influenciadas através de vigaristas, que os subornam com a ilusão de um ótimo trabalho em terras distantes, e acabam por serem ludibriados com as condições de trabalho.

O trabalho escravo contemporâneo é o conjunto de alojamento precário, ambiente sem saneamento básico ou sequer água potável, sem atendimento médico, jornada exaustiva e até mesmo violências verbais e físicas. Esses empregadores acabam por esconder seus documentos e cobrando altas taxas de ferramentas, alimentação, sendo inviável o retorno para seus lares, e de ameaças de vida caso o mesmo tente fugir.

Em caso de fuga e sobrevivência, é possível alertar os entes estatais que irão fiscalizar e dar apoios trabalhistas de acordo com seus direitos. Para o combate efetivo dessa atividade é necessário prevenir através da educação e de informações, oportunidades de trabalho dignas, assim como a assistência ao profissional e repressão aos empregadores que exercem essa atividade.

Lista de Transparências do Ministério do Trabalho de empregadores que exercem trabalho sem condição adequada ao trabalhador: https://reporterbrasil.org.br/wp-content/uploads/2017/03/Lista-de-Transpar%C3%AAncia_-dez2014-2016.pdf  Mais informações: https://reporterbrasil.org.br/ e http://escravonempensar.org.br/o-trabalho-escravo-no-brasil/

Laíza Teixeira Pedroso Tecnóloga Ambiental, colaboradora do Coletivo Socioambiental e Associação Bragança Mais.