Agenda

Programa Oficinas Culturais divulga agenda virtual para o mês de setembro

publicado em 26 de agosto de 2020 - Por BJD

O Programa Oficinas Culturais da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerenciado pela Poiesis, está presente no ambiente on-line desde que teve suas atividades presenciais paralisadas com o início da pandemia Covid-19.

O projeto divulgou nesta semana a agenda virtual para o mês de setembro.

Com uma série de atividades virtuais gratuitas em diversas linguagens e formatos, as capacitações acontecerão em setembro através de transmissão ao vivo pelo Canal das Oficinas Culturais no Youtube e das plataformas de videoconferência (Google Meet e Zoom).

Dentre os cursos oferecidos estão oficina de documentários domésticos, fotografia básica com câmera, oficina de artes e estéticas afro-brasileiras, oficina de fotografia digital para celulares, entre outros.

Além disso, diversas atividades dos programas gerenciados pela Poiesis como Oficina Oswald de Andrade, Casa das Rosas, Casa Mário de Andrade, Fábricas de Cultura e Programa de Qualificação em Artes, estão abertas ao público de todas as cidades. Os conteúdos estão disponíveis no site da instituição. (http://poiesis.org.br/maiscultura/)

OFICINA: DOCUMENTÁRIOS DOMÉSTICOS (30 vagas)

On-line (Google Meet)
Coordenação: Lucas Gervilla
Inscrições de 21 a 31/ago pelo link: https://forms.gle/hpDxdd5bQHcoEA28A
Data: 14, 16 e 18/9 (segunda, quarta e sexta-feira), das 14h às 16h

Nesta oficina, os participantes entrarão em contato com métodos de produção audiovisual voltados para o cinema documentário, não importando o tipo de dispositivo de vídeo, celulares, webcam, câmeras semiprofissionais, DSLR’s, entre outros.

A atividade será focada em técnicas de filmagem e produção sem sair de casa, respeitando as orientações de isolamento social, utilizando equipamentos de baixo custo e acessórios fáceis de serem encontrados ou adaptados a partir do que os participantes tiveram à mão. Também serão abordados princípios básicos da edição e montagem, resultando em mini-documentário.

 OFICINA DE FOTOGRAFIA BÁSICA COM CÂMERA – COMPOSIÇÃO E ENQUADRAMENTO (30 vagas)

On-line (Google Meet)
Coordenação: Henriique
Inscrições de 21 a 31/ago pelo link: https://forms.gle/8eR1KNS5zYMMYwUa8
Data: 15, 17, 22 e 24/9 (terças e quintas-feiras), das 17h30 às 19h30

A oficina, em formato de conversa, tem como objetivo apresentar os princípios básicos da fotografia digital, passando pelos fundamentos da fotografia até a importância de saber se comunicar com aquele que está sendo fotografado. Desta forma, o participante poderá sair com um conhecimento básico, mas suficiente, para iniciar sua produção fotográfica autoral.

OFICINA: INTRODUÇÃO À TEORIA QUEER E OS SEUS MANIFESTOS (45 vagas)

On-line (Google Meet).
Coordenação: Sara York e Rafael Leopoldo
Inscrições de 21/ago a 01/set pelo link: https://forms.gle/SmaG2zsVxqG69MUF7
Data: 16, 18, 22 e 24/9 (quarta, sexta, terça e quinta), das 14h às 16h

Os participantes desta oficina serão introduzidos ao pensamento Queer, através do conceito de manifesto enquanto gênero literário e dos manifestos produzidos pela própria teoria queer.

 OFICINA DE FOTOGRAFIA DIGITAL PARA CELULARES (ON-LINE) Transmissão ao vivo pelo Canal das Oficinas Culturais no Youtube

Inscrições 9 a 16/set pelo link: https://forms.gle/urTNHZAjG5qHgYNh9
Data: 21, 22 e 23 de setembro (segunda a quarta-feira), das 10h às 12h

Curso voltado àqueles que querem aprender a fotografar com os seus celulares. Com metodologia mista e didática interativa, Bruna Grassi propõe uma imersão ao universo da fotografia digital com qualquer celular que possua câmera. Não é necessário ter conhecimento prévio em fotografia.

OFICINA: ARTES E ESTÉTICAS AFRO-BRASILEIRAS (50 vagas)

On-line (Google Meet)
Coordenação: Luciara Ribeiro
Inscrições 24/ago a 03/set pelo link: https://forms.gle/XMMHGVFhZhLSAEZi9
Data: 21, 23 e 25/9 (segunda, quarta e sexta-feira), das 14h às 16h

O curso visa introduzir o estudo das artes e das estéticas afro-brasileiras, através de leituras e análises de obras e autores emblemáticas, de diferentes temporalidades, linguagens e contextos.

Tomaremos como ponto de partida os debates em torno de tal nomenclatura, suas interpretações e possibilidade de compreensão. Em um segundo momento, serão apresentadas produções de autoria afro-brasileira e suas relações com as histórias, culturas e narrativas brasileiras, passando por períodos que vão desde o colonial ao contemporâneo.

 PROFISSÃO: ARRANJADOR (50 vagas)

On-line (Google Meet)
Coordenação: Maurício Lima
Inscrições 24/ago a 3/set pelo link: https://forms.gle/f1qFchvDbR6QjrCt7
Data: 21, 22, 28 e 29/9 (segundas e terças-feiras), das 14h às 16h

 EUTONIA – ATRAVESSAMENTOS DA PELE – A DANÇA E O AUTOCUIDADO (100 vagas)

On-line (Zoom)
Coordenação: Claudia Palma
Inscrições: 21/ago a 1/set pelo link: https://forms.gle/7KZWCQg6ofVdJ4GC7
Data: 21, 23 e 25/9 (segunda, quarta e sexta-feira), das 17h30 às 19h30

Eutonia é uma prática corporal cujo objetivo é o desenvolvimento e a ampliação da percepção e da consciência de si através do corpo. O corpo é sua primeira casa, sua morada! Portanto precisamos habitá-lo, e para tanto é fundamental acessar a sabedoria que é própria do corpo, o autoconhecimento. Por meio da atenção às sensações, promove a ampliação da percepção e da consciência corporal, propiciando a regulação e flexibilização do tônus, contribuindo não somente para um bem estar, mas como também para pesquisa de criação de movimentos.

 PROCESSOS CRIATIVOS E ELABORATIVOS DA RETRATÍSTICA AFRO-BRASILEIRA (50 vagas)

On-line (Google Meet)
Coordenação: Luciara Ribeiro
Inscrições 4 a 14/set  pelo link: https://forms.gle/n2stQq9etRS43VkA8

Data: 28, 29 e 30 (segunda a quarta-feira), das 14h às 16h

A oficina tem por objetivo analisar a produção visual afro-brasileira dedicada ao retrato. Esse, que é um dos gêneros artísticos mais emblemáticos da história visual da humanidade, está presente em diversos suportes, como a pintura, a fotografia, o vídeo, entre outros.

O retrato é parte do desejo de memorizar a imagem no tempo, de retê-la em uma superfície concreta, de representar, de confrontar, de ver e ser visto. Tomar o retrato como objeto de estudo possibilita pensar narrativas da individualidade e da coletividade, da memória e da imaginação.

Com base nisso, o curso analisará os processos criativos e elaborativos desenvolvidos por artistas e pesquisadores afro-brasileiros, entendendo o retrato como espaço de potência artística e social.

Conversas no Facebook