BJD
29 máx 17 min
BragançaPaulista18 Fev 2018


Cidade


UPA Bom Jesus ampliou em 43 mil os atendimentos de urgência e emergência no município em um ano
Sábado,  03 FEV 2018
Versão para impressão
Tamanho dos carácteres

 A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Bom Jesus realizou no total 63.500 atendimentos no ano passado. Na comparação com os atendimentos de urgência e emergência no município no ano de 2016, foram 43 mil pacientes a mais em 2017.

Além de melhorar a estrutura da unidade, o objetivo para este ano é conseguir viabilizar aportes do governo federal. As informações foram apresentadas em entrevista coletiva na última quarta-feira, 31 de janeiro, para prestar contas do primeiro ano desde a reabertura da unidade, no mesmo dia do ano passado, após ficar 34 meses fechada.

Além da secretária municipal de Saúde, Marina de Fátima Oliveira, a coletiva, realizada no gabinete da Prefeitura, foi acompanhada pelo prefeito Jesus Chedid, vice-prefeito Amauri Sodré, diretor técnico da UPA César Alves, coordenador geral da enfermagem da UPA Daniel Félix, assessor Marcus Leme e demais funcionários da Saúde.

“Foi uma vitória imensa da população e compromisso cumprido do prefeito Jesus Chedid. Pudemos participar e honrar a reabertura dessa unidade que foi fechada por irresponsabilidade do gestor anterior. A população é melhor assistida perto de suas casas.

É uma região grande de pessoas carentes e a maioria dependente do SUS. Mais de 190 pessoas passam por dia no Bom Jesus. Há quem diga que o Bom Jesus não funciona e certamente essas pessoas desconhecem a importância dessa unidade para a cidade, especialmente para a zona norte, que funciona 24 horas por dia de segunda a segunda”, destacou a secretária de Saúde.

Uma das justificativas do governo anterior - Fernão Dias/Hughette - para o fechamento do Bom Jesus era com relação aos custos mensais. Marina disse que não houve gasto excedente, o que ocorreu foi um reposicionamento de funcionários, e que a Administração atual aguarda a habilitação da UPA pelo Ministério da Saúde para que possa receber recursos federais.

“O custo mensal é de R$ 600 mil e para isso adequamos toda a rede. Os profissionais que lá estão já eram da rede. Nós os realocamos para a unidade Bom Jesus. O que acrescentou foi medicamento e material de enfermagem.

Com relação ao investimento, neste momento é 100% pela Prefeitura, porque estamos em tratativas com o Ministério da Saúde para habilitar, o que não é rápido, pois o Ministério exige bastante documentos. Estamos nos adequando a cada exigência para que possamos ter a habilitação e a partir disso ter o investimento do governo federal” acrescentou a secretária.

“Agora está quase pronto um novo raio X, que foi largado pela Administração anterior numa caixa. Teremos dois aparelhos lá dentro para servir tanto a UPA quanto as especialidades. Se um quebrar, o novo está lá. Assim, a cada dia vamos melhorando aquela unidade.

Estamos avançando na estrutura física, que precisa de adequações, como banheiros acessíveis, melhorando algumas salas, incremento de pessoal em parceria com a OS que vai assinar contrato conosco [Med Life] e assim vamos medindo a quantidade de atendimento e a complexidade para ver o que pode ser melhorado”, avaliou Marina.

Jesus Chedid fez uso da palavra e considerou um sonho realizado a reabertura da unidade. “Foi um sonho reabrir o Bom Jesus, como foi um sonho construir o Bom Jesus. No ano de 2000 quando fizemos a campanha, prometemos construir um hospital. Nem terreno tinha, mas conseguimos um terreno e construímos o Bom Jesus em 2001. Depois fecharam o Bom Jesus.

Fizemos os levantamentos necessários na época [eleição de 2016], sabíamos que o sacrifício ia ser grande para manter o Bom Jesus, pois a situação da Prefeitura era difícil e ainda é. Se Deus quiser até o meio do ano vamos conseguir esse convênio federal, que vai ajudar muito o Bom Jesus”, disse.

APROVAÇÃO

Durante a entrevista coletiva, Jesus destacou a aprovação da população em relação à Saúde e parabenizou o trabalho da secretária Marina. Segundo os resultados de pesquisa interna de seu partido, mas apresentada para a imprensa, questionados se a saúde no município melhorou sob a gestão Jesus Chedid/Amauri Sodré, 12,4% disseram não saber; 4,2% avaliam como igual; 5,8% pior e 77,6% avaliaram que melhorou.

“77% da população acha que a saúde melhorou na nossa administração e isso se deve a vocês. O que mais ajudou a melhorar o conceito foi o atendimento à população. Parabéns pra vocês [servidores]”, finalizou o prefeito.

Ainda com relação a pesquisas, foram apresentados números também da avaliação geral. No questionamento “Como você avalia o início da administração Jesus/Amauri?” o resultado foi o seguinte: 1%: não sabe; 7,8%: ruim/péssima; 14,4%: regular; 76,8 %: ótimo/bom.

OUTROS ASSUNTOS

O prefeito abriu a coletiva também para questionamentos em geral. A respeito do saneamento básico, Jesus Chedid disse que a Sabesp terá que oferecer melhores condições se quiser renovar o contrato com o município. “Não é uma região qualquer.

É onde nascem as águas. Os entendimentos continuam. Não vamos assinar contrato se eles não mudarem muito o pensamento. As propostas já estão começando a vir. O deputado Edmir Chedid tem insistido muito que as cidades querem uma maior participação nos lucros da Sabesp. Queremos um percentual sobre o faturamento da Sabesp em cada cidade”, afirmou.

A respeito do Consórcio Público Intermunicipal Águas da Mantiqueira (Consam), formado por 10 municípios da região de Bragança Paulista, o prefeito admitiu que existe um problema com o registro da marca “Consam”.

“Estamos na fase de formalização do consórcio para que se torne uma pessoa jurídica para que possa tomar as providências com relação a chamamento público e outras ações. Quanto ao nome escolhido, no momento do registro o cartório informou que há um nome semelhante, o ‘Consórcio Municipal Mantiqueira’, formado por Joanópolis e Vargem, e essa semelhança impediria de continuar com o nome ‘Consam’.

Então o prefeito Jesus, como presidente do consórcio, está tomando as providências para reunir os demais prefeitos signatários para saber quais caminhos tomar, se haverá mudança no nome ou tentar judicialmente. Estamos enfrentando esse problema, mas acredito que o mais breve possível deve se resolver”, falou Jocimar Bueno do Prado, secretário especial de Gabinete.

O prefeito respondeu ainda questões relacionadas à infraestrutra do município e ações de combate a enchentes juntamente com o secretário de Serviços Aniz Abib Junior. Além disso, falou a respeito do Carnaval e da renovação frota da Guarda Civil Municipal, conforme destacado nesta edição do BJD.