BJD
28 máx 14 min
BragançaPaulista24 Nov 2017


Cidade


Entidades se unem para trazer Incubadora de Projetos a Bragança
Terça-Feira,  14 NOV 2017
Versão para impressão
Tamanho dos carácteres

 Na última semana, o vereador Paulo Mário Arruda de Vasconcellos se reuniu com o diretor do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) regional de Bragança, Luis Barrio; com o diretor do Instituto Federal São Paulo (IFSP), campus Bragança Paulista, João Roberto Moro; e com o técnico em assuntos educacionais do IFSP, Eder Sacconi, para debater iniciativas para implantar uma incubadora de empresas em Bragança Paulista.

As incubadoras são instituições que auxiliam micro e pequenas empresas nascentes ou que estejam em operação, que tenham como principal característica a oferta de produtos e serviços no mercado com significativo grau de inovação. Elas oferecem suporte técnico, gerencial e formação complementar ao empreendedor e facilitam o processo de inovação e acesso a novas tecnologias nos pequenos negócios.

Paulo Mário vê o momento de recuperação da economia como oportunidade de valorizar o polo educacional do município, que conta com Universidade, Fatec, IFSP e Senai e oferecer aos jovens a oportunidade de uma experiência diferenciada.

“A incubadora vai trazer novidades, ideias, propostas que possam ser apresentadas e implementadas para trazer empregos para o município. Bragança tem tudo para aproveitar esse momento. Raríssimas cidades têm um polo educacional como o nosso. A Prefeitura precisa se envolver nesse tipo de trabalho, assim conseguiremos gerar novos empregos”, argumentou.

Com essa proposta, as discussões foram iniciadas com as duas instituições. Para Luis Barrio, diretor da Ciesp, a oportunidade é fundamental. “No caso da Ciesp, trabalhamos juntamente com a Fiesp [Federação das Indústrias do Estado de São Paulo], responsável pelo Sesi e Senai.

Também temos a ideia de juntamente com as indústrias de Bragança buscar um meio de unir a pequena e média empresa para ter parcerias e criar a incubadora”, avaliou. O diretor do Ciesp saiu do encontro com a missão de coletar informações sobre o polo industrial da região para assim ter embasamento para dar sequência aos trabalhos.

Para o diretor do IFSP de Bragança, a incubadora seria um grande reforço. “Esse projeto tem uma fundamentação muito grande. Teremos a oportunidade de tratar de alguns assuntos educacionais de maneira diferenciada.

Temos em Bragança ao menos quatro instituições que oferecem cursos em nível superior. É um polo educacional fantástico, além das escolas de base que são muito boas”, avaliou João Roberto Moro.

“O Instituto Federal faz questão de participar disso porque a incubadora é uma das prerrogativas da lei de criação dos institutos. Nós devemos atuar diretamente na ciência e tecnologia e a incubadora é exatamente essa junção”, concluiu.

O assistente em assuntos educacionais do IFSP, Eder Sacconi, também elogiou a proposta. “Uma incubadora precisa que todos os agentes públicos e privados caminhem unidos para desenvolver projetos de ciência e tecnologia fortes e empresas inovadoras. Se queremos ocupar lugar de destaque na economia, temos que ter ciência e tecnologia de ponta”, disse.

O vereador Paulo Mário segue em busca de novos contatos para agregar ao projeto. “Há dados de que, atualmente, 70% dos empregos no Brasil são originados de empresas com apenas cinco funcionários. O projeto vem ao encontro dessa prerrogativa”, concluiu o vereador.