BJD
31 máx 14 min
BragançaPaulista11 Dez 2017


Cidade


Administração assina ordem de serviço para implantação de Parque Ecológico e do Centro de Apoio ao Turista
Terça-Feira,  10 OUT 2017
Versão para impressão
Tamanho dos carácteres

 Com a recuperação dos recursos e convênios destinados ao município, a Prefeitura de Bragança Paulista tem retomado projetos que estavam paralisados, entre eles o Parque Ecológico no Tanque do Moinho (foto) e o Centro de Apoio ao Turista, no Matadouro.

Em solenidade realizada na quinta-feira, 5 de outubro, o prefeito em exercício, Amauri Sodré, assinou duas ordens de serviço. A primeira foi para a empresa IFS Construções que irá implantar o Parque Ecológico no Tanque do Moinho; a segunda foi à empresa TSX Engenharia e Construção para as obras do Centro de Apoio ao Turista. A assinatura foi acompanhada por secretários municipais, vereadores, representantes das empresas e demais interessados.

Na ocasião, Amauri Sodré ressaltou que a Administração, como cliente dessas empresas, cobrará a execução das obras com qualidade e no prazo, acompanhando e fiscalizando cada etapa dos serviços.



O Centro de Apoio ao Turista será instalado na Praça Coronel Jacinto Osório, no Matadouro, com investimentos do Governo Federal, por meio do Ministério do Turismo, e será fundamental nos planos da atual gestão para o desenvolvimento turístico da cidade. O valor da obra será de R$ 217.571,84, com prazo de execução de 300 dias.

O Centro de Apoio ao Turista será destinado a atividades indutoras do turismo, beneficiando direta e indiretamente todos os setores do segmento, além de estar consonante com os objetivos previstos no Plano Nacional de Turismo.

Já as obras no Tanque do Moinho visam a recuperação de área degradada situada na Alameda XV de Dezembro, esquina com a Rodovia João Hermenegildo de Oliveira, com a implantação de um parque ecológico. A empresa vencedora da licitação, IFS Construções, realizará a obra por R$1.859.566,09, num prazo de execução de 18 meses.

Os recursos para o Parque são oriundos do Fundo Estadual de Defesa dos Interesses Difusos (FID), vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania. O Fundo é mantido por ações civis públicas e seus recursos financiam projetos que tenham como objetivo a preservação e reparação de danos causados ao meio ambiente, ao consumidor, ao patrimônio histórico, turístico e paisagístico, visando o atendimento da coletividade e não de um grupo específico.

O projeto, além da implantação do Parque Ecológico prevê a construção de um Espaço Comunitário de Educação Socioambiental, de um Viveiro Escola, de um Espaço de Convivência, além das portarias, salas da administração, banheiros públicos, obras de infraestrutura do parque e aquisição de equipamentos e materiais permanentes.

O local também abrigará a sede do Espaço Comunitário de Aprendizagem (Ecoa), uma instituição sem fins lucrativos focada no acolhimento afetivo e de aprendizado de crianças e adolescentes da comunidade carente.

A presidente da entidade, Eledi Gonçalves, e o vice, Elias Pereira, além de outros membros do Ecoa, acompanharam a assinatura e ressaltaram que se tratava de um dia memorável para todos eles. A entidade lutava desde 2010 para que dessem andamento no projeto.

A Administração Municipal verificou que a área do lago do Tanque do Moinho encontra-se com impactos ambientais e sociais sérios, com uma dinâmica de ocupação crescente, onde a comunidade possui poucas opções de locais de lazer ou de socialização. “Por isso, a Administração trabalhou muito para dar andamento no projeto, cumprir com os prazos e, finalmente, realizar a licitação para concretizar a implantação do Parque Ecológico”, informou a Prefeitura.

Pretende-se com este projeto de recuperação da vegetação e implantação do Parque Ecológico criar condições favoráveis ao lazer saudável e a aprendizagem integrada, melhorando a qualidade de vida da comunidade diretamente envolvida.