BJD
32 máx 15 min
BragançaPaulista17 Out 2017


Cidade


Professores da USF recebem prêmio por pesquisa no tratamento de doença intestinal
Sábado,  12 AGO 2017
Versão para impressão
Tamanho dos carácteres

 Os docentes dos Cursos de Medicina e Farmácia da Universidade São Francisco (USF), professores Dr. Carlos Augusto Real Martinez e Dr. José Aires Pereira, foram destaques na Sessão Solene Comemorativa do 88º Aniversário do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, no mês de julho.

Os professores da USF receberam o Prêmio “Brant Paes Leme”, distribuído anualmente entre os cirurgiões brasileiros à melhor pesquisa em Clínica Cirúrgica. O Colégio Brasileiro de Cirurgiões é considerado a segunda maior Sociedade Cirúrgica do mundo, ficando atrás apenas do Colégio Americano de Cirurgiões.

Os professores foram premiados pelo trabalho “Avaliação dos efeitos do sucralfato na preservação das junções intercelulares das células da mucosa cólica desprovida de trânsito intestinal: estudo experimental em ratos”.

O principal objetivo da linha de pesquisa dos professores, que vem sendo desenvolvida há quase 16 anos na USF, é identificar novas estratégias para o tratamento da doença colite de exclusão. Essa enfermidade apresenta alta prevalência e é caracterizada pelo desenvolvimento do processo inflamatório crônico na mucosa de segmentos do intestino grosso desprovidos de trânsito intestinal.

Entre os sintomas apresentados pelos pacientes estão diarreia mucoide, dores abdominais e eventual perda de sangue pelas fezes. Os sintomas prejudicam significativamente a qualidade de vida dos doentes que, em virtude do quadro clínico, tornam-se reclusos, afastando-os do convívio social.

Atualmente, existem apenas três grupos que pesquisam essa doença no mundo, sendo um no Brasil formado pelos professores da USF, no programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências da Saúde, e outros dois na Austrália e Nova Zelândia. “A nossa pesquisa consiste em desenvolver uma estratégia terapêutica eficaz e de baixo custo para o tratamento da doença.

As drogas atualmente disponíveis apresentam alto custo e, as mais eficazes, apesar de serem distribuídas para outras formas de doenças inflamatórias intestinais, não são oferecidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) aos portadores de colite de exclusão.

Ao longo desses 16 anos de pesquisa aqui na USF nós testamos várias substâncias naturais e sintéticas. Todavia, o sucralfato apresentou os resultados mais promissores”, explicou o professor Martinez.

A utilização dessa substância foi uma sugestão do professor Aires, pois ela mostrava eficácia terapêutica em outras doenças inflamatórias do aparelho digestivo, como as gastrites e a inflamação que ocorre após o tratamento radioterápico do câncer da próstata e do colo do útero.

Inicialmente, os professores realizaram testes em animais portadores de colite de exclusão e o sucralfato mostrou-se eficaz no tratamento da doença, reduzindo significativamente a inflamação da mucosa intestinal.

A próxima etapa da pesquisa é testar os efeitos terapêuticos da substância em humanos. Caso a droga apresente os mesmos resultados encontrados nos animais, sua eficácia terapêutica aliada ao seu baixo custo poderá fazer do sucralfato uma nova alternativa para o tratamento clínico dos portadores de colite de exclusão.