BJD
27 máx 13 min
BragançaPaulista24 Mai 2017


Cidade


Confirmada primeira morte de macaco por febre amarela no município
Sábado,  15 ABR 2017
Versão para impressão
Tamanho dos carácteres

 A Secretaria Municipal de Saúde confirmou na manhã de quinta-feira, 13 de abril, a morte de um macaco em território bragantino por febre amarela silvestre. Com isso, a vacinação contra a febre amarela será ampliada no município.

De acordo com a nota enviada pela Prefeitura, a Secretaria Municipal de Saúde e a Divisão de Vigilância Epidemiológica e Controle de Doenças receberam na última quarta-feira, 12, a confirmação de um macaco morto por febre amarela silvestre no Bairro Araras dos Cardoso. Outro macaco foi encontrado morto no Bairro do Campinho e está sob análise.

Em contato com a secretária municipal de Saúde, Marina de Oliveira, ele informou que até quinta-feira [dia 13] seria encerrada a vacinação das pessoas que moram nos bairros limítrofes a Tuiuti e que durante a sexta-feira, sábado e domingo, um novo mutirão, já programado, iria aos bairros Jardim das Palmeiras, Curitibanos, Campinho e Araras dos Cardoso.

Segundo a secretária, a vacinação contra a febre amarela será ampliada. “Em seguida, todos os moradores da zona rural do município serão vacinados. Depois iremos imunizar os moradores da zona urbana”, afirmou a secretaria por telefone.

Marina adiantou que ela e sua equipe estiverem durante a manhã de quinta-feira em reunião com técnicos do Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE) do Departamento Regional de Saúde (DRS), em Campinas, onde foi solicitado um reforço na quantidade de doses de vacinas.

De janeiro deste ano até abril, já foram vacinadas cerca de 7.500 pessoas. Ainda de acordo com Marina, a partir de segunda-feira, 17, a Secretaria de Saúde irá montar estratégias para ampliação da vacinação no município.

Outra questão apontada por Marina é a vacinação de pessoas que moram na zona urbana e trabalham na zona rural. “Essas pessoas também serão vacinadas”, afirmou a secretária.

VACINAÇÃO

A reportagem do BJD questionou a secretária sobre a mudança no processo de vacinação, realizada pelos profissionais do Centro de Saúde Dr. Lourenço Quilici, no Lavapés.

Desde a tarde da última quarta-feira, 12, o cidadão que vai viajar para uma área de risco tem que preencher um termo de viagem e levar comprovante de endereço. Segundo Marina, “está havendo uma invasão de pessoas de outros municípios e nós temos doses suficientes para moradores de Bragança Paulista”.