BJD
29 máx 17 min
BragançaPaulista18 Fev 2018


Colunistas


Neste Natal uma prece
Sábado,  23 DEZ 2017
Tamanho dos caracteres

 Nesta véspera de Natal, compartilho algo que aprendi recentemente sobre oração, mais particularmente sobre o lado humano da oração: o que acontece com a gente quando oramos e quais são os passos para uma oração plena de significado. Seguindo os passos da oração conectada, muita gente se surpreende com graças alcançadas, porque fica mais preparado para recebê-las.

Essa oração deve ser realizada durante 21 dias, de manhã e à noite, em horário que for mais conveniente. Caso esqueça alguma vez, a sequência deve ser iniciada de novo. Isso não significa que Deus se deixe vencer pela insistência. Significa que a gente se coloca em estado de oração, exercita a comunhão e isso acaba sendo assimilado pelo nosso modo de ser e agir.

Há uma teoria bastante difundida hoje que afirma que tudo o que é praticado efetivamente durante 21 dias acaba sendo assimilado e incorporado. Isso vale para atividades artísticas, esportivas, profissionais e metas pessoais. O certo é que depois de praticar durante 21 dias dificilmente a gente deixa de manter esse novo comportamento de orações bem feitas.

Esse tipo de oração tem 4 passos. O primeiro deles leva-nos a um contato com a gente mesma e nos leva a experimentar a presença de Deus. Numa posição corporal bem cômoda, num ambiente de recolhimento, fazemos uma sequência de inspirações e expirações bem profundas. Simultaneamente, mencionamos coisas de nossa vida que queremos agradecer a Deus. Pode ser coisas pequenas ou grandes, o importante é mencionar e agradecer. É incrível, acaba saindo uma lista bem longa de coisas boas que estão acontecendo em nosso dia-a-dia.

Assim, agradeço por estar vivo, por ter uma boa cama, por ter tomado um café gostoso, por ter recebido um telefonema, por ter encontrado um amigo, por ter feito uma caminhada, pelo ar que respiro, por ter concluído uma tarefa, por estar todos em casa, por ter melhorado da gripe, por ter recebido o salário, por ter feito a compra do mês ...a lista costuma ser bem grande.

O segundo passo leva-nos a experimentar forte expansão e profunda comunhão. É o momento de nos colocarmos em contato com todos aqueles que rezam, meditam e celebram. Fazemos então um passeio mental por todos aqueles lugares e situações, ligadas à Igreja ou não, em que sabemos encontrar pessoas que se encontram em oração. Sentimos então que não estamos sozinhos, sentimos mais, que estamos inseridos num intenso contexto de bênçãos e graças. Somos tomados por uma energia muito boa, contagiante, transformadora.

Envolvidos por essa aura de comunhão maior, a terceira etapa é totalmente dedicada a pedidos. Pede-se então pelos que estão doentes, por aqueles que estão no pronto-socorro, pelos que estão internados, por aqueles que estão recebendo alta, pelos que estão vivendo seus últimos momentos, pelos desempregados, pelos que passam fome, pelas crianças abandonadas, pelos presos, pelos migrantes, por aqueles que foram obrigados a deixar a própria terra, pelos que trabalham muito, pelos desabrigados por chuvas ou secas, por vítimas do terrorismo ... Cada dia essa lista costuma crescer a partir de nossa observação ou de notícias que nos chegam.

Finalmente, no quarto momento, apresentamos nossos pedidos. É bom fazer uma lista de 4 ou 5 pedidos pessoais ou familiares, repetindo-os todos os dias, de manhã e à noite. No final dos 21 dias, a gente tem um novo hábito, muito salutar, qual seja o de rezar pelo menos duas vezes por dia.

Também estará mais desenvolvido o comportamento de colocar-se diante de Deus, estabelecendo comunhão com Ele, para agradecer o muito que recebemos, para conectar-se com todos aqueles que oram e amam, para pedir por aqueles que necessitam muito mais do que a gente mesma e para pedir por algumas de nossas necessidades. Experimente. Muitas serão as bênçãos percebidas. Feliz Natal!