BJD
29 máx 16 min
BragançaPaulista24 Fev 2018


Colunistas


E o que dizer da noite da virada do ano?
Sábado,  16 DEZ 2017
Tamanho dos caracteres

 Somente 14 dias nos separam do primeiro dia de 2018. Pensando bem, essa medida do tempo é uma boa. A divisão do ano em 12 meses dá suporte para a elaboração dos planejamentos e essa medida dá razão à vida.

É o cronômetro das atividades: das simples para as complicadas, das miúdas para as graúdas. E a cada 4 anos acontecem as eleições, momento único em que os cidadãos eleitores podem renovar os “Poderes”.

A lei eleitoral continua permitindo as reeleições indefinidamente do Poder Legislativo: senadores, deputados, vereadores. Eles ficam velhinhos, cansados, sonolentos, é hora de parar. A longa permanência ensinou a eles a criarem eleitores viciados. Na certeza da vitória, tranquilamente indicam os seus sucessores, quase sempre um filho ou filha. E aí está a instalação oficial do cargo eletivo vitalício.

Observem os “papais” e os “filhos” pendurados nas tetas do “Poder”. Ah! O Bolsonaro tem dois ou três filhos deputados. Poderoso, hein !!! Você é um eleitor viciado? Você não quer mudar os rumos políticos?

E O QUE DIZER DA NOITE DA VIRADA DO ANO?


É contagiante a contagem regressiva dos cinco minutos finais. É momento de confraternização. É hora das rolhas dos vinhos espumantes estourarem. É hora de desejar, aos familiares e aos amigos: “Feliz Ano Novo”! Pois é, será que não passou da hora de eliminarmos a queima de fogos na “passagem” do ano? A nossa atmosfera está sobrecarregada de poluição. O nosso planeta Terra implora preservação.

Em poucos minutos cria-se uma densa cortina de fumaça que vai para os “os ares”. Onde está a nossa racionalidade? A natureza nos oferece diariamente espetáculo de luzes e cores de formas variadas, passemos a apreciar a mescla de cores do nascer do Sol acompanhado com o trinar dos pássaros, das gotas multicoloridas do orvalho, dos fachos dourados que entram pelas nossas janelas.

E o “por do Sol” é outro espetáculo divino. E as noites enluaradas? E as noites com o céu azul marinho pontilhado de estrelas? Toda essa maravilha permanente dispensa essa queima insana de fogos que em poucos minutos queima muito dinheiro, prejudica a saúde e agride o nosso meio ambiente. E se esse dinheiro for público?

Como queimá-lo assim? Em proveito de quem? De quem está no Poder? Com a palavra os nossos ambientalistas, os nossos órgãos de proteção e defesa do meio ambiente, de nós enquanto cidadãos e de cabeças pensantes. É hora de eliminar a causa ou as causas dessas loucuras.

BEM, JÁ SE CONVENCIONOU DE QUE DEZEMBRO É O ÚLTIMO MÊS DO ANO E COM ELE OS BALANÇOS, OS BALANCETES, AS AVALIAÇÕES, DEVERAS NECESSÁRIAS

Acompanhando a nossa amiga cidadã Maria Bueno da Silva, que traz no seu currículo 16 anos de serviços prestados na nossa Câmara Municipal na área de Finanças e ocupante do cargo de Secretária Municipal de Finanças em administração anterior do atual prefeito na condição de técnica, nunca se filiou a nenhum partido político, mas é uma militante em defesa dos direitos dos cidadãos.

E na frente da “telinha” pudemos observar e avaliar a “produção” dos 19 vereadores que compõem a Câmara Municipal de Bragança Paulista no período de 1/jan/2017 a 27/out/2017. É assustador contabilizarmos o pouco que foi feito e mais ainda o conteúdo. Diríamos que é vergonhosa a forma como se contabiliza as coautorias, se fundem autor e coautores com apenas um “Sim” no pedido de participação.

Pedimos aos cidadãos que têm a “telinha” que não deixem de verificar esse espaço que é a função principal do vereador. Façam também uma retrospectiva das Sessões ocorridas na Câmara e vocês poderão avaliar se eles merecem ter como salário R$ 12.000 por mês. É uma afronta a nós contribuintes.

Não se assustem se daqui a pouco eles aprovarem para si o 13º salário, abono de Natal, de férias, de recesso parlamentar e de tudo o que se chama de “venha a nós tudo e tudo”. Não faz mal que as farmácias públicas tenham falta de remédios, que os exames laboratoriais estejam represados. O importante é ter os bolsos cheios. A carência dos cidadãos não os sensibiliza. Não se justifica termos 19 vereadores na Câmara Municipal.

PASSOU DA HORA DE ENVIARMOS A NOSSA CONVERSA PARA O BJD, POR ISSO O NOSSO CORTE

Há assuntos que merecem considerações nas três esferas: Reforma da Previdência Social tratada como uma imposição, uma ameaça ao cidadão comum como se ele fosse o culpado; o descaso do governo estadual com as prioridades; o vai e volta com fatos e atos do governo municipal; a falta de planejamento nas secretarias municipais.

São assuntos que rendem muitas conversas e que devem ter reflexos nas eleições de outubro de 2.018, pois parece que os cidadãos já estão acordados para a nossa realidade. Isso é muito bom. Burrinho só lá no presépio.

Será que está valendo o nosso
ACORDA BRAGANÇA???