BJD
31 máx 19 min
BragançaPaulista18 Jan 2018


Colunistas


Colisão de opiniões (I)
Sábado,  28 OUT 2017
Tamanho dos caracteres

 NINGUÉM ignora que o papel do líder é promover uma interlocução mais próxima entre a bancada de apoio ao prefeito na Câmara e o Executivo. O líder de governo faz articulação política com o propósito de garantir o entendimento na tramitação dos projetos de autoria do prefeito na Casa Legislativa.

O vereador Paulo Mário alegou a quebra de confiança no Projeto de Lei sobre honorários de advogados da prefeitura no REFIS. A ausência de prestígio e atenção nesse caso procede, afinal, o líder não tem autonomia e assim ocorreu colisão de opiniões. O projeto é realmente uma aberração!

COLISÃO DE OPINIÕES (II)

ACESSIBILIDADE
gera desconforto no Executivo e no Legislativo. Reuniões infrutíferas descontentam empresários e comerciantes, isso sem contar que até agora não ocorreu nenhuma mudança significativa.

Aqui como acolá está sim em destaque a constante mutabilidade, em decorrência do crescimento da cidade e o padrão da movimentação repercute principalmente sobre as necessidades básicas: sistema viário e transportes; ainda, conflitos que expressam interesses divergentes dos vários atores em cena, tais como: pedestres/motoristas, morador/motorista e proprietários de estabelecimentos com os todos os agentes apontados.

Grave também o componente físico, definido pela impossibilidade física de acomodar simultaneamente todos os movimentos gerados pelas relações entre as pessoas. Impossível admitir estacionamento de veículos em vias tão estreitas e que colocam as pessoas em permanente risco.

A produção do espaço urbano tem por características principais> a mobilidade, a acessibilidade e a exclusão social. Ora, como admitir estacionamento de veículos em vias tão estreitas e cito como exemplo: Rua Coronel Ladislau Leme. Verdadeira armadilha para pedestres! Os “especialistas” nomeados ainda não perceberam o perigo que lá permanece? FIM!

COLISÃO DE OPINIÕES (III)

FALTA DE TRANSPARÊNCIA
ou pelo menos uma espécie de secretismo instalou-se na atual administração municipal> reuniões... para ouvir; debates...mínima participação e as indas e vindas... nas decisões. Tudo fermenta o cansaço no povo que ainda aguarda suas reivindicações justas e prometidas.

Desfile de Escolas de Samba já não é bonito nem essencial, aliás, apenas o Carnapraça inaugurado pelo próprio Jesus Chedid é sim um sucesso. Essa semana foi fértil em desencontros de opiniões e para ilustrar: acesso e rotatória já em plena utilização, porém, nenhum esclarecimento sobre as licenças outorgadas nas várias esferas (já apontado nessa coluna). Há sim outros exemplos que são preocupantes. Esse manto de silêncio, apesar de algumas reuniões meramente de caráter político, cerceia-se o debate público.

Consultas públicas para disfarçar a falta de projetos definidos. Serviços de Saúde nada além do que já existia e era criticado na oposição. Ora, é recomendável ter cautela nas notícias em geral, pois, transformam-se em meros anúncios e talhados para iludir e seduzir a população. Por um instante imaginei um governo com o tradicional método de governar do Jesus Chedid. Não!!!

“Por falta de um grito vai-se embora uma boiada” (Provérbio “mineiro”)

Até a próxima