BJD
31 máx 17 min
BragançaPaulista22 Jan 2018


Colunistas


Precipita – muda
Sábado,  07 OUT 2017
Tamanho dos caracteres

 Prefeito licenciado, confusão na certa. Medidas são adotadas... e quando não dão certa, são revogadas ou mudadas. Isso aconteceu no decreto que aumentou valores de taxas de cemitérios, zona azul etc.

Agora a polêmica é o IPTU complementar. Prazos exíguos, dúvidas, mudança de regras etc. O assunto ainda vai render muita confusão.

2 – IPTU

Embora quase todos os vereadores entendam que o prazo para atendimento (e recurso) para “conferir” as 24 mil notificações do IPTU seja insuficiente (era de 10 dias, e por protesto que fiz em reunião foi aumentado para 20), a Prefeitura até agora (quando escrevemos a coluna) está irredutível.

Nesse pouco tempo, apesar dos esforços dos funcionários da Prefeitura, é impossível atender todos. Fica prejudicado o direito de ampla defesa.

3 – Paradoxo

Avenida Marcus Vinicius Valle está com falta de iluminação no poste em frente ao nº 120. Reclamaram-se desse fato várias vezes. Isso acontece em outros locais também.

Paradoxalmente, muita gente reclama que em várias ruas, praças etc., luzes ficam acessas durante o dia.

4–Presidente da OAB – falecimento

Causou muita consternação a morte do jovem advogado (45 anos), Dr. Leandro Ferreira de Souza Neto, presidente da OAB local. Muita gente presente no velório para prestar as últimas homenagens a ele, excelente profissional, bom amigo e exemplar marido e pai.

5 – Empreguismo político: não

Embora eu seja oposição ao atual governo municipal, reconheço que o prefeito foi bastante parcimonioso (econômico) na nomeação de cargos de confiança na prefeitura. Esperamos que estando ele licenciado por questões de saúde, não se mude essa conduta.

Não se deve usar (como alguns fazem previsão), a OS da Saúde para nomeações políticas. Cerca de 5 mil pessoas entregaram seus currículos e passaram por prova para tentar admissão lá. Seria extremamente injusto que houvesse nomeações políticas na OS. Muita gente está de olho para fiscalizar isso.

6 – Humilhado, suicidou-se

Não conheço o caso com suas minúcias e nem detalhes.

Mas quando vi a notícia do suicídio do reitor da Universidade de Santa Catarina (Luiz Carlos Cancellier de Olivo), de 60 anos, num shopping, deduzi:

- Ele se matou devido depressão, da humilhação que sofreu por uma prisão preventiva desnecessária (foi solto dois dias depois), e pelo noticiário, que o condenou antecipadamente.

O prejulgamento o matou. Isso já destruiu a vida de muita gente. Espero que essa ocorrência sirva para evitar o que está se tornando uma prática nada rara.

7 – Filmes


Semana passada, assisti dois filmes em cartaz. O primeiro, “Sono Mortal”, é péssimo, diálogos ruins, atores fracos, história previsível. Nem vale a pena comentar.

O outro filme “Mãe” é com (ótimos) atores famosos, e causou grande polêmica. É a história de um casal que vive numa casa de campo, e de repente a casa começa a receber pessoas estranhas, cada vez mais. A moça fica grávida e ao ter a criança ela é reverenciada por todos. Mistura-se a Bíblia, bebê de Rosemary, o nascimento de Cristo etc.

Uma verdadeira “salada” feita para causar polêmicas. Extremamente confuso... o filme não agrada a imensa maioria. Não perca tempo.

8 – Rápidas

1 – Comentário: administração municipal consegue enviar 24 mil notificações para cobrar IPTU em poucos dias, mas não consegue retirar 7 capivaras do Lago do Taboão.

2 – Lago localizado em frente ao Colégio Anglo, em terreno particular, está quase que totalmente assoreado. Colabora para as enchentes na rua.

3 – Como bem disse o BJD em editorial: 24 mil notificações são enviadas, mas não conseguiram fazer lei referente a poucos imóveis tombados e em APP que merecem isenção. É a chamada prioridade seletiva.

9 - Folclore: Lê pensamentos

Noutro dia, formou-se uma roda na Praça Central, e uma das pessoas me perguntou sobre qual seria a solução para o Lago do Taboão.

Eu disse:
- Precisa tirar a terra, e impedir com sistema de filtros de areia que ela continue caindo no lago através das tubulações de águas pluviais.

A própria pessoa que perguntou disse:
- Nossa... você é um DIPLOMATA?

Eu não entendi muito a observação, mas em seguida, ele explicou:
- Eu estava pensando nisso. Você lê pensamentos. É um diplomata.