BJD
32 máx 18 min
BragançaPaulista16 Jan 2018


Colunistas


Aberturas Clássicas
Sexta-Feira,  06 OUT 2017
Tamanho dos caracteres

 A ópera é um dos gêneros musicais mais apreciados da história da Música. Alguns dos melhores compositores de todos os tempos - Mozart, Wagner, Rossini - criaram óperas de uma qualidade musical e uma força dramática incomparáveis.

1- Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791) - nasceu numa época dominada pela ópera italiana, e ele interessou-se muito cedo pelo teatro lírico; com a idade de 9 anos escreveu uma ária dramática para tenor e aos 11 anos, compôs uma ópera mitológica, “Apolo e Jacinto”.

As obras dramáticas ocuparam um lugar central na sua obra: acomodaram-se às regras e convencionalismos da ópera bufa e ópera séria, a que acrescentaram o “Singspiel alemão”. No entanto, o gênio mozartiano saberia libertar-se das influências, transcendendo as formas antigas sem destruí-las, e achar uma expressão sem ponto de comparação.

2- Giacchino Rossini (1792-1868) - filho de músicos, recebeu o mais importante da sua formação no Liceu de Música de Bolonha, junto ao padre Mattei em particular (contraponto e composição).

A sua primeira ópera bufa “A Cambiale di casamento” foi representada em 1810, em Veneza e a sua primeira ópera séria, “Ciro em Babilônia”, em 1812, a qual foi um fracasso. Em 1815, o compositor aceita a direção do Teatro de São Carlos de Nápoles, onde teve lugar a apresentação do “Barbeiro de Sevilha em 1816, que se transformou rapidamente para os europeus na ópera cômica mais popular de todos os tempos.

3- Richard Wagner (1813-1883). Os primeiros estudos musicais deste compositor foram desordenados, a sua vocação, despertada pelo descobrimento de Beethoven, não teve nenhum caráter imperioso, sua verdadeira formação musical data apenas de 1828.

A obra dramática de Wagner compõe-se de treze óperas e dramas líricos (“Rienzi, Parsifal, Os Mestres Cantores...”). Wagner quis ser o mago de uma “arte-religião”, de uma “arte total” enraizada no nacionalismo germânico.