BJD
33 máx 20 min
BragançaPaulista18 Jan 2018


Colunistas


E a nossa Bragança? A sua administração municipal? O seu poder legislativo?
Sábado,  30 SET 2017
Tamanho dos caracteres

 Domingo, 1º de outubro e 1º dia do último trimestre de 2017. Os planejamentos anuais devem estar na fase conclusiva para em seguida acontecer a avaliação. A avaliação é um instrumento útil para embasar o planejamento de 2018 nas diferentes áreas.

E por falar em planejamento, o que será que os corruptos brasileiros estão planejando para o próximo ano? E nós não podemos esquecer que em outubro/2018 teremos eleições para Presidente da República, para Senadores, para Deputados Federais, Deputados Estaduais e Governadores de Estado.

Pois é, a tão propalada e necessária reforma política feita por eles, continuará prestigiando os grandes partidos e os mesmos ocupantes dos cargos, que já têm a “mina” para as campanhas eleitorais. Alguém das “Excelências” pensou em restringir as reeleições, em cortar os altíssimos “salários”, em acabar com as mordomias exorbitantes enquanto o “povão” passa por duras privações? Será que eles nem sequer desconfiam que o rombo que eles fazem nos cofres do Tesouro Nacional faz falta para a compra de remédios, para a realização de exames, para cirurgias, para nossas escolas, para a segurança?

O Poder Judiciário segue a mesma toada: salários altíssimos mais gratificações e gratificações, excessos de mordomias, só férias não bastam, criaram os recessos, quem sabe cópia do Poder Legislativo ou vice-versa. Os Poderes Legislativo e Judiciário são os plantadores da gritante injustiça social que aqui reina. O Poder Executivo tem também a sua parte. E todos nós sabemos que não existe independência entre os três Poderes. Uma verdade é certa: somos nós que pagamos a manutenção dessa casta insaciável. Outra verdade: Nós podemos mudar essa situação.

Pode-se pensar em percalços na Operação Lava-Jato, dada a sua dimensão, mas uma coisa é certa, serviu para politizar os cidadãos, quebrou a blindagem dos políticos e dos membros do Judiciário, tirou da “Torre de Marfim” os intocáveis ministros que pelas circunstâncias estão expostos na mídia, o que os leva aos julgamentos dos cidadãos. Por certo, a credibilidade tribunal balançou face às manifestações e descomposturas dos ditos egrégios.

Caíram as cortinas. Terão reflexos na vida dos cidadãos, que passarão a ser mais cidadãos, conhecedores dos seus direitos e conhecedores dos deveres daqueles que por opção assumem o poder “de mando”. Tomara que esse reflexo seja sentido nas eleições de outubro de 2018. Sejamos nós os artífices da Reforma Política, filiemos aos partidos políticos conforme nossa ideologia, sejamos ou incentivemos cidadãos a serem candidatos, deixemos o marasmo, conversemos sobre Política com “P” maiúsculo.

Acreditemos nas afirmações: “A mudança está em nós”.”Muda, se primeiro mudarmos nós”. O dístico da bandeira paulista é um bom lembrete para as eleições: “Conduzo, não sou conduzido”. Adotemos! Sejamos donos das nossas decisões.

Bem, acreditamos que essa nossa Conversa não traz novidades, ela é ampliada sabiamente pelos cidadãos que vivem o dia a dia. Pois é, nós aprendemos que a repetição de fatos traz a fixação, vamos então à sua aplicação. Os resultados dirão.

E A NOSSA BRAGANÇA? A SUA ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL? O SEU PODER LEGISLATIVO?

Como já dissemos: último trimestre do ano, apenas 90 dias para o seu encerramento. Como será o seu balanço final. Quais as realizações, quais os ganhos, quais os projetos e programas concluídos? Pelo o que vemos em termos de realizações de rotina, se assemelham a uma colcha de retalho inconclusa, começam-se serviços e não se concluem e isso põe em risco a vida dos cidadãos.

Citamos apenas um fato: a falta da pintura das faixas de sinalização nas ruas e avenidas, principalmente onde existem lombadas, e essa falha põe em risco a vida de motoristas e pedestres. O que responde o Secretário Municipal de Mobilidade Urbana no seu décimo mês de nomeação? Apelar para o “bom senso” não resolve.

E por aí vai. Ah! Mais uma situação inacreditável: Uma escola municipal do centro está com sua água servida correndo pela Rua Dr. Tosta. Iniciou-se o reparo e parou, já faz tempo. Parece que o Diretor não é atendido. Pais, alunos e demais transeuntes são obrigados a pisar nos detritos, assim como os carros que por ali transitam. Até quando essa situação vai permanecer? É uma ESCOLA MUNICIPAL ! ! ! Isso não pode. Que imagem negativa!

Quanto ao Poder Legislativo Municipal, foi inaceitável a atitude dos 18 vereadores que não aprovaram o Projeto de Resolução 9/2017 de autoria do vereador Cláudio Moreno, que regulamentava o desconto de R$397,00 a cada falta injustificada. O que é que existe de ilegal nisso?

O trabalho é remunerado desde que se trabalhe, não trabalhando não recebe. O Brasil é um país entupido de leis. Precisamos de uma Constituição objetiva, reta e direta, que elimine todas as redundâncias e regulamentações.

Faltou, perde o dia de trabalho; roubou, vai para a cadeia. Todos os delitos têm punição e ponto. Mais uma vez louvamos o ato de cidadania do vereador Cláudio Moreno e abominamos o dos demais por essa atitude gananciosa de querer ganhar integralmente os absurdos R$ 12 mil por mês, mesmo que tenham faltas. É legislar em causa própria. É tirar, sem pejo algum, o dinheiro do nosso bolso.

ACORDA BRAGANÇA ! ! !