BJD
31 máx 17 min
BragançaPaulista22 Jan 2018


Colunistas


Triste realidade
Sábado,  23 SET 2017
Tamanho dos caracteres

 NENHUM TORNEIO de vários tipos de esportes registra um resultado de 18 x 1, porém, nossa Câmara Municipal, composta por 19 vereadores, em votação de dispositivo que regularia o desconto dos “nobres edis” em faltas às sessões e reuniões de Comissões, sepultaram com pá de cal, sem nenhuma vergonha, a proposta de iniciativa de Cláudio Moreno.

A instituição por excelência do regime democrático, sem nenhuma dúvida deveria ser o Poder Legislativo Municipal. Compete à Câmara de Vereadores o papel e a obrigação de mostrar aos membros da sociedade que suas atividades parlamentares não divergem da realidade local e refletem a opinião pública. Fundamental analisar de forma crítica a questão aqui abordada.

O resultado escancara a enorme distância, a ponte gigantesca que separa o anseio popular da decisão que afronta e humilha toda e qualquer categoria de trabalhador. Realmente ninguém se adapta a este estilo de posicionamento que revelam “suas excelências” defendendo interesses próprios.

Peço licença ao Nathale Prayes e reproduzir aqui> “Quem cala consente? Quem cala sente. Quem cala sente tanto e, sinto muito, quem cala mente. Quem cala sepulta falas no ato silente. Quem cala semeia vento.

Quem fala, colhe seus frutos. Quem cala ceifa semente”. Encerro parafraseando Lavoisier: “Do nada, nada!” Assim, nada adianta argumentar mais nada>, apenas dar parabéns ao vereador Cláudio Moreno e irreversíveis pêsames aos 18 integrantes que se calaram e sepultaram falas!

BENDITA REALIDADE

CALOR EM PLENO INVERNO
antecipou o retorno das andorinhas. Na verdade o inverno/primavera confundiu o clima e tivemos temporada de chuva que permitiu até animais se reproduzirem, plantas com flores e frutos e ainda paisagens maravilhosas. A mudança climática produziu surpresas agradáveis e desagradáveis. Já percebemos as andorinhas penduradas nos fios esticados em postes.

Elas anteciparam o retorno já que não suportam o frio, quase imperceptível nesse curto inverno. Existe um ditado: “Quando uma andorinha morre, a primavera fica mais pobre”. Bendita Realidade também sofre com a intensa devastação ambiental.

Época do fogo e da queimada antes percebida apenas nas pequenas roças e agora, em decorrência da insensatez do ser humano e da ausência de fiscalização, se alastrou no país do canto das cigarras, das coloridas borboletas e das andorinhas.

Quem já não ouviu Passaredo (Chico Buarque e Francis Hime)? Naquele período era a canção contra a ditadura, com nomes de todos os pássaros do Brasil. Hino da Resistência com o canto dos pássaros.

PASSAREDO

Ei, pintassilgo/Oi, pintarroxo/Melro, uirapuru/Ai, chega-e-vira/Engole-vento/Saíra e inhambu. Foge asa-branca/Vai, patativa/Tordo, tuju, tuim/Xô, tiê-sangue/Xô, tiê-fogo

Xô, rouxinol, sem-fim/Some, coleiro/Anda, trigueiro/Te esconde colibri/Voa, macuco

Voa, viúva/Utiariti/Bico calado/Toma cuidado/Que o homem vem aí. O homem vem aí

O homem vem aí/ Ei, quero-quero/Oi, tico-tico/anum, pardal, chapim/Xô, cotovia/Xô, ave-fria/Xô, pescador-martim/Some, rolinha/Anda, andorinha/Te esconde, bem-te-vi.

Voa, bicudo/Voa, sanhaço/Vai, juriti/Bico calado/Muito cuidado. Que o homem vem aí O homem vem aí. O homem vem aí”.

Quem ignora o Uirapuru> nome bastante comum de várias aves espalhadas por todo o Brasil. Muitas já sumiram e estariam entre as mais belas da nossa então rica avifauna.

O verdadeiro uirapuru (ou Cyphorhinus arada) foi sim a inspiração para a grande parte de nossas belas lendas. Ave amazônica que tem um canto diferente e segundo uma lenda, quem o ouve carrega consigo a sorte!

ATÉ A PRÓXIMA