BJD
31 máx 19 min
BragançaPaulista18 Jan 2018


Colunistas


Fato que os eleitores de Bragança Paulista precisam gravar
Sábado,  23 SET 2017
Tamanho dos caracteres

 Estamos pedindo chuva. A umidade do ar está baixíssima. Não suportamos mais o pó fininho que desgruda do asfalto, e nem a fuligem das queimadas que o vento se encarrega de trazer para nossas casas.

E quando a chuva chegar, para alegria geral, temos que excluir dessa roda os radialistas, os repórteres que já se acostumaram a chamar de “tempo ruim” os dias chuvosos. Que incoerência! Chuva é água. E água é vida. E quem não gosta de dormir com a chuva mansa tamborilando nas vidraças?

Bem, chovendo ou não, a estação Primavera chegou e encontrou os ipês amarelos ainda floridos, são aquarelas da natureza. Os especialistas dizem: Plante a sua (estação) Primavera na (estação) do Inverno. Realmente o inverno é a estação indicada para fazer as podas das árvores, dos arbustos, das cercas vivas, de recompor os canteiros, de fazer a cobertura dos gramados, de deixar tudo preparado para “explosão” do belo.

Pois é, mais um ano está se passando e não tivemos a recomposição das nossas praças, dos nossos jardins, dos canteiros floridos que desenhavam a Av. dos Imigrantes, as entradas da nossa Bragança, o entorno do Lago Taboão, as rotatórias. Assim foram as administrações anteriores do atual prefeito Jesus Chedid: muita vida, muitas obras, mudanças para melhorias.

O que está acontecendo? Falta de planejamento? Falha da assessoria? Os Secretários Municipais trazidos de outras cidades ainda não se “aclimataram” por aqui. Essa nossa CONVERSA reflete o que se ouve pelos quatro cantos da nossa cidade.

Estamos nos referindo “às pequenas grandes obras” que não demandam gastos exorbitantes, mas revigoram os ânimos, geram o tão necessário bem estar coletivo. Secretários com ações externas não podem ficar encerrados nos seus gabinetes. Por enquanto a avaliação está negativa. Isso é ruim.

FATO QUE OS ELEITORES DE BRAGANÇA PAULISTA PRECISAM GRAVAR: O NOME DOS 18 VEREADORES QUE NÃO QUEREM QUE SUAS FALTAS SEJAM DESCONTADAS

Na 33ª sessão ordinária do Poder Legislativo do dia 19 de setembro de 2017, o Projeto de Resolução nº 9/2017 de autoria do vereador Cláudio Moreno, que previa o desconto de R$397,00 a cada falta injustificada em sessões ordinárias, extraordinárias e comissões, teve apenas um voto favorável, o do proponente Cláudio Moreno. Os demais vereadores querem que a Câmara Municipal seja uma “casa risonha e franca”, chegam e saem a hora que querem, a prioridade continua sendo suas atividades particulares.

Desconto de suas faltas nem pensar, são donos do “Poder”. Se convertermos as horas por eles trabalhadas em dias com carga horária de 8 horas e dividirmos o salário mensal de R$ 12.000, teremos a conta exata do ganho diário do vereador, por certo muito mais que o salário mensal do trabalhador de fato, que, se faltar sem justificação, terá o seu dia descontado. Como eleitores conscientes, não deixem de gravar o nome desses 18 vereadores que não permitiram ser descontados nas suas faltas.

Merece voto de louvor o vereador Cláudio Moreno, cujo Projeto apresentado não tinha tão somente caráter punitivo, mas acima de tudo impingir compromisso e seriedade nas atribuições do cargo de vereador, afinal de contas são servidores públicos por opção, e como tal precisam cumprir regras. E nós pagamos e muito! Precisamos de mais “Cláudios”.

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO TEM NOVA TITULAR, DESTA VEZ A REDE MUNICIPAL FOI PRESTIGIADA


Desta vez a Rede Municipal de Ensino foi prestigiada, foi nomeada uma Diretora concursada de Escola Municipal cujo ingresso no cargo se deu em 2010. Está na Rede Municipal desde 1999, ocupou os cargos de Professora, Diretora de Escola, Supervisora de Ensino e atualmente estava na Chefia da Divisão Técnico-Pedagógica da Secretaria Municipal de Educação. A nomeada é Kátia Andréia Müller Daidone, formada em Pedagogia, pós-graduada em Administração Escolar e Supervisão Escolar.

Um grande ponto positivo: conhece a Rede de Ensino, o seu RH e a sua rede física, traz a sua experiência que, aliada ao conhecimento, poderá desenvolver propostas inovadoras no processo ensino/aprendizagem e no relacionamento escola/comunidade. A chave das mudanças está na EDUCAÇÃO. Há que se ter um novo olhar. Sucesso Kátia! E o que nós desejamos.

FAZEMOS AQUI ALGUMAS INDAGAÇÕES

Onde está a Avenida Dr. Plínio Salgado? Foi engolida pela via Capitão Barduíno ou Bardoíno? Não existem mais os marcos de Perímetro Urbano? Caiu de moda? A situação da Rua D. Aguirre nunca será solucionada? A aprovação do crescimento vertical (torres residenciais/comerciais) não está em desacordo com o Plano Diretor? Nesses casos, como ficam a mobilidade urbana, a rede de esgoto, o impacto com vizinhança?

A ocupação de calçadas por lanchonetes, a lei é igual para todas? Pensando em turismo, em revitalizar as praças centrais, por que não se permitir o uso das calçadas pelas lanchonetes nos finais de semana e no período noturno? Nesses períodos as praças se transformam em cemitérios, nem dá coragem de passar por elas. Por que não trabalhar com alternativas que geram bem estar? Por que não fazer a diferença?

Bem, reforçamos as nossas propostas: Secretários Municipais nas ruas conhecendo, vendo, resolvendo problemas; vereadores fiscalizando atos do Poder Executivo; e nós, cidadãos pagantes de impostos escorchantes, precisamos ter olhos de lince, que tudo enxerga, para não sermos ludibriados. A passividade às vezes é mórbida.

Continua valendo :
A C O R D A B R A G A N Ç A ! ! !