BJD
31 máx 17 min
BragançaPaulista21 Jan 2018


Colunistas


Estranho
Sábado,  16 SET 2017
Tamanho dos caracteres

 É importante que a Prefeitura verifique o que está acontecendo no Lago do Taboão, na tubulação de águas pluviais. No lado dos bares, mesmo sem chuva, escorre água pelos canos e cai no lago. É esgoto?

2-) Refis: costume

O REFISé um costume no Brasil. Se tornou uma constante, algo previsível. Os governos (federal, estaduais e municipais) usam o REFIS para arrecadar quando estão em dificuldades de caixa (o que quase sempre acontece). Forma-se um círculo vicioso. Aumenta a inadimplência e a sonegação, pois muitos esperam o REFIS.

3-) Refis: injusto

Em Bragança sempre votei contra REFIS. Acho que o bom pagador tem que ser estimulado, e o inadimplente desestimulado (mas o REFIS faz o contrário). Quem “não pode pagar”, tem dificuldades financeiras, pode ser beneficiado pela lei que concede remissão (perdão) total ou parcial dos débitos. Mas, conceder Refis beneficia também aos que tem grandes débitos, e sabem que o parcelamento vantajoso virá.

4-) Justiça tributária

Moção de minha autoria pede que a Prefeitura isente de IPTU imóveis tombados (conservados pelo proprietário), e também os que estão totalmente em área de APP e não podem ser utilizados. É mais do que justo. É absurdo que imóveis com restrição de uso, ou impossibilidade de utilização sejam tributados.

5-) Leitesol – Passeio e fogo

No dia 07 de setembro, cerca de 50 pessoas fizeram uma caminhada até a Pedra do Leitesol. Todos ressaltaram a necessidade de se utilizar o local como atração turística e de preservação - pode ser usada como rota de caminhadas, e ter um teleférico. Infelizmente, no dia seguinte, à noite, grande incêndio na mata das proximidades.

6-) Dá pra negociar Leitesol

O local que acessa e também onde ficam as pedras, não é de grande valor comercial, por ser montanhoso, e de preservação. Prefeitura deveria “negociar” com o proprietário essa área.

7-) Usina – Também é negociável


Outro local que é muito bonito e deve ser preservado é a Usina da Mãe dos Homens, nas margens do rio Jaguari, num local onde há corredeiras e até cachoeira. Também pode e deve ser negociado com os proprietários. Seu valor comercial não é dos maiores.

8-) Pediremos

Iremos apresentar moção na Câmara Municipal, sugerindo ao prefeito que negocie essas duas áreas (Leitesol e Usina) para preservá-las, e ativá-las para atividades turísticas.

9-) Grupo Eco pode ressurgir

Em 1985, foi fundado o Grupo Eco - Defensores da Natureza. Sua atuação foi marcante. Proteção da Montanha do Leitesol que estava sendo alvo de mineração, do Tanque do Moinho (poluído por esgoto – depois foi construído um interceptor), foram suas primeiras ações. Quem presidiu o “Eco” por muito tempo (e bem) foi o Marcio Camargo (Coxinha). Há um grupo querendo reativar o Eco.

10-) Novos tempos

No Brasil, cada mês, são 3 ou 4 escândalos. Sempre tivemos corrupção. O importante é que agora os casos aparecem (antes, anos 60,70,80,90,2000 não eram denunciados, nem apurados). Se por um lado é ótimo vermos denúncias e divulgações (que devemos filtrar, devido a polarização entre as partes), por outro, nos preocupa a generalização e eventuais erros e exageros na aplicação da Lei (que se refletem no “povão”, já que criam Jurisprudência).

11-) Estradas

Mais uma morte na estrada Bragança – Itatiba. É uma das estradas que (proporcionalmente) mais matam no país. A sua duplicação, assim como a da Bragança – Socorro, ficam só nas promessas em épocas eleitorais.

12-) Rápidas

1-) Simples exame de sangue, leva mais de 3 meses na saúde do município.

2-) Capivaras estão se multiplicando nos lagos Santa Helena e Taboão; podem ser removidas para outros locais da natureza.

3-) Lago do Santa Helena, em frente ao Anglo, em terreno particular, está quase todo assoreado.

13-) FOLCLORE Vereador ficou bravo

Vereador Gabriel reclamou que esteve na Secretaria de Finanças e foi impedido de examinar documentação referente à prestação de contas de uma entidade local. Na Câmara, fez pedido de informações, e queria copia da documentação.

A resposta foi hilária: “A documentação está à disposição na secretaria, e não enviaram ao edil porque é muito extensa e alegaram, pasmem, defesa do meio ambiente” (papel vem das árvores... acho que é isso).