BJD
31 máx 19 min
BragançaPaulista18 Jan 2018


Colunistas


A “Aliança Francesa de Bragança Paulista”
Quarta-Feira,  12 JUL 2017
Tamanho dos caracteres

 Bragança Paulista sempre contou em seu meio social com intelectuais que se reuniam e discutiam assuntos variados, entre eles filosofia e línguas diversas.

Existia no Largo da Matriz, hoje Praça Raul Leme, um estabelecimento comercial denominado “Livraria Barreto”, de propriedade de Gonçalo Barreto, onde se reuniam figuras de escol nas letras bragantinas. Possuidor de uma invejável cultura, Gonçalo Barreto recebia semanalmente livros escritos por grandes pensadores e escritores de gabarito, notadamente estrangeiros, cujos volumes eram devorados pelos frequentadores do estabelecimento.

Assim, no dia 27 de julho de 1946 fundou-se naquele local, sob a designação inicial de “Centro dos Amigos do Idioma Francês”, uma entidade cultural com o objetivo de difundir e aprimorar o conhecimento desse idioma entre nós.

A diretoria eleita naquela ocasião, que tinha como um dos principais incentivadores o Sr. Gonçalo Barreto, ficou assim constituída: Presidente, Dr. Affonso Risi; Vice-presidente, Dr. Rubens Siqueira Reis Leme; 1º Secretário, Prof. José Nantala Badue; 2º Secretário, Dr. Joseph Errol Brandt; Tesoureiro: Dr. Arthur Ferreira Cintra. O Conselho foi formado por: Maestro Demetrio Kipman, Dr. Claude Rouquet, Prof. Henz Scheneider, Prof.ª Edith Bechara, Prof.ª Maria do Carmo Stefani e Profª. Rina Calzavara Kipman.

Desde então, a nova entidade iniciou seu roteiro de magníficas e excelentes realizações, não poupando esforços no sentido de proporcionar aos interessados no conhecimento da língua francesa, recursos eficientes e modernos para seu desenvolvimento.

Inicialmente funcionando no “Club Literário e Recreativo”, o Centro foi crescendo. Mudou-se para uma das salas da Associação Comercial, alugando depois a parte superior do prédio da antiga “Farmácia Silva Leme”, na Rua do Comércio, onde por diversos anos atuou com ótimos resultados.

Tendo aumentado consideravelmente suas atividades, deliberou-se transformar o Centro de Amigos do Idioma Francês em Aliança Francesa de Bragança Paulista, que se mudou para um amplo prédio da Rua Dr. Cândido Rodrigues nº. 125. Criou-se então, e foi instalada em anexo, a Associação de Cultura Franco Brasileira.

Em suas novas dependências, com seu mobiliário renovado e legalizando o seu regimento interno, a Aliança Francesa de Bragança Paulista recebeu o eficaz apoio das Alianças Francesas do Rio de Janeiro, de São Paulo e de Paris, na França.

Tendo alcançado a novel sociedade progresso extraordinário, adquiriu tamanho prestígio que foi considerada como Aliança modelo do Brasil e piloto do Estado de São Paulo. Proporcionalmente à população local, foi considerada na época a primeira em número de alunos no Brasil. O seu nome pelos reais feitos no campo do ensino e difusão do idioma francês ultrapassou as nossas fronteiras.

Nos idos de 1963, a “Aliança Francesa de Bragança Paulista” teve como diretor um professor vindo diretamente da França para este fim, Monsieur Bernard Diez, que também era um grande teatrólogo. Lecionavam naquela época nos diversos cursos, além do Prof. Bernard Diez, Mme. Henriette Toan, Dr. Claude Rouquet, Dr. Affonso Risi, Prof. Temístocles Pereira Nunes, Prof. Lélio Lopes, Srtas. Carmem Sanchez, Lúcia Helena de Toledo Brandi e Sonia Almeida. Nos anos anteriores vários professores cooperaram para o alevantamento da referida sociedade, entre eles o Prof. Jaume Castelis Lluelli e o saudoso Prof. Marcel Micanel, falecido em acidente.

Durante a existência da Aliança, transmitiam seus conhecimentos de Francês o Prof. Henz Scheneider, Dna. Maria do Carmo Stefani e Profa. Sarah Ayres Ferreira. Nos cursos elementares distinguiram-se as srtas. Maria Teresa Salaroli e Maria Lúcia Sales, alunas da própria Aliança que com grande carinho e rara eficiência ministraram aulas nestes cursos. Nessa época a Aliança Francesa chegou a possuir 220 alunos e dois cursos dependentes, um funcionando no Colégio Diocesano São Luiz, outro no Colégio Sagrado Coração de Jesus.

Sua diretoria, em sua fase áurea, era a seguinte: Presidente, Dr. Affonso Risi; Vice-presidente, Dr. Claude Rouquet; 2º Vice-Presidente, Temístocles Pereira Nunes; 1º Secretário, Prof. José Nantala Badue, 2º Secretário, Dr. Pierre Gaston Toan; Tesoureiro, Lélio Lopes; Bibliotecária, Terezinha José; Conselho: Prof. Heinz Scheneider, Dna. Maria do Carmo Stefani, Dna. Leda Ribeiro, Dna. Ivete Moraes Risi e Dna. Irene Scheneider. Direção Artística: Dnas. Maria do Carmo Stefani, Ivete Moraes Risi e Prof. Elines Marchesoni.

Além de fazer parte de diretorias anteriores, muito trabalharam em prol da sociedade, José Francisco Filocomo, Profa. Hebe Machado Leme e Elke Grunopp, falecida há pouco tempo.

A Aliança Francesa de Bragança Paulista e a Associação de Cultura Franco Brasileira, que se fundiam numa só, foram muito beneficiadas financeiramente pela nossa Prefeitura e também pela Companhia Têxtil Santa Basilissa, enquanto esta existiu e que distribuía anualmente o Prêmio Dr. Geraldo de Souza Tosta aos melhores alunos que terminavam o último ano do curso.

Com o decorrer do tempo, com o afastamento de intelectuais de nossa terra, uns por mudança, outros por morte ou então por não se poder contar com o auxilio providencial de Gonçalo Barreto, um dos seus principais idealizadores, senão a figura principal dentre aqueles que amavam a cultura francesa, deixou de existir a “Aliança Francesa de Bragança Paulista”, que tão bons frutos trouxe à cultura de nossa terra, como poderão atestar aquelas pessoas ainda em nosso convívio que frequentaram os cursos da citada entidade e aqueles que labutaram nessa proveitosa seara de conhecimentos que fazem parte da nossa história.

JOSÉ CARLOS CHIARION é advogado, escritor e membro da Associação dos Escritores (ASES). Foi vereador; colunista do Bragança-Jornal Diário; participou da fundação e foi presidente da Associação Bragantina de Imprensa (ABI). É autor do livro “Um Pouco da Nossa História”.


EM TEMPO: Acompanhe toda sexta-feira, no “Altiora Jornal” exibido pela nossa TV Altiora, às 19:00 horas, a “Agenda Cultural”, onde cada semana um assunto dos aqui por nós abordado é comentado pelo jornalista Fabio Silverio, com a colaboração fotográfica de Luis Antonio Palombello.