BJD
31 máx 17 min
BragançaPaulista22 Jan 2018


Colunistas


Sucessão paulista
Sábado,  01 JUL 2017
Tamanho dos caracteres

 GERALDO ALCKMIN já declarou a intenção de disputar a Presidência em 2018. Apenas um impasse: opta pelo nome de seu atual vice-governador para sucedê-lo e a ala discordante insiste no nome de João Doria e promete avançar com a indicação, apesar de o prefeito paulista assegurar que cumprirá o mandato para o qual foi eleito.

Caso ele mude o tom da conversa, é provável que tal grupo faça tudo para impedir as articulações de Alckmin em favor de Márcio França (PSB). Nesse jogo de xadrez, o deputado Pedro Tobias, presidente do PSDB paulista, também defende Doria, no entanto, argumenta que Geraldo Alckmin será o candidato ao Palácio do Planalto. José Serra é minimamente lembrado. Difícil acontecer um “racha”, porém, França sinaliza que a decisão do PSB sobre a eleição em São Paulo não ficará à mercê do PSDB.

Ora, como política arte de fazer o boi parir... tudo pode acontecer! Conveniente ressaltar que em festa de tucano, pomba não pia> PSDB: Tucano – PSB: Pomba. Tenho lá as minhas dúvidas e não acredito em racha. Márcio França, no jogo político e na hipótese de afastamento de Alckmin para disputar a eleição presidencial, assumindo o cargo de governador mata a charada> apenas poderá disputar o mesmo cargo, não com o apoio do PSDB. De outra banda, e se não assumir? É uma hipótese não descartada e tudo pode acontecer.

A dúvida: Cauê Macris abdicaria de seu mandato/presidência da Assembleia Legislativa para aguardar em eventual vitória de Alckmin e/ou Doria e aí ocupar algum Ministério ou alguma Secretaria? Um grande trunfo nessa jogada é o atual presidente estadual do PSDB, deputado Pedro Tobias em seu quinto mandato. Médico, um dos fundadores da Organização Médicos sem Fronteiras, com atuação partidária forte e inquestionável, defende a candidatura de Alckmin.

O deputado federal Bruno Covas, vice-prefeito de São Paulo, tem o mesmo propósito e na eventual renúncia de Dória para concorrer ao cargo de governador, assumiria o cobiçado governo municipal e disputar a reeleição em 2020. Nada a perder! Ninguém acredita que o PSDB deixará de ter uma candidatura ao governo paulista. Márcio França poderá disputar vaga ao Senado Federal com o apoio do PSDB e Aloysio Nunes mais um mandato ao Senado.

Paulo Skaff (PMDB) não abre mão de sua candidatura e já avança com alianças que incluiria o PSD de Kassab (?) e até o PTB de Campos Machado, caso não haja o “entendimento” com o PSDB. Já o PT tem apenas um nome: Eduardo Suplicy. PDT arriscará com Grabriel Chalita ou compor com o PT. O DEM apenas vai com Alckmin!

VICE-GOVERNADOR

JONAS DONIZETTE
, atual prefeito de Campinas, reforça abertamente que é parte do grupo do governador Geraldo Alckmin e no momento não pensa em deixar o cargo para compor em 2018 a chapa PSDB/PSB como candidato a vice-governador. Atesta que Alckmin enfrenta um dilema, porém, a tendência é apoiar o prefeito João Doria na cabeça da chapa.

Sem dúvida participará ativamente do debate para a escolha dos candidatos ao governo do Estado para as eleições de 2018. Isso já é sinal que Márcio França vai seguir a linha de seu partido sem piar e ao mesmo tempo o PSDB não abrirá mão de ter candidato ao governo estadual. Além de Jonas Donizete, por enquanto não se fala em mais ninguém.

Outro detalhe> supondo que Alckmin “resolva” concluir o mandato. PSDB/PSB prossegue, tendo em vista que o nome de Doria cresce na opinião dos caciques e da bolsa de apostas> ele surge como opção para candidato a presidente ou a governador de São Paulo. É o famoso plano alternativo, caso haja problema eleitoral com Geraldo Alckmin. Aliás, até o PSDB mineiro apoia tal iniciativa. Nessa hipótese, José Serra é o nome mais citado para concorrer ao governo estadual!!!

EDMIR CHEDID

ALEXANDRE LEITE
teve o apoio do deputado Edmir Chedid nas eleições de 2010. Já nas eleições de 2014 apoiou Herculano Passos. Os dois candidatos tiveram votações além das expectativas. Agora o tom da conversa em Bragança Paulista> qual o motivo? Mais ainda> Edmir Chedid não quer ser deputado federal?

A discussão prossegue: Alexandre Leite não conquistou, nem propôs para a nossa cidade um único centavo de emenda parlamentar, apesar de obter aqui 16.640 votos. Aproveitador... como é conhecido por enorme contingente, até dentro do DEM. Reitero aqui o que escrevi nesta coluna em 20/SET/2014. Já Herculano Passos, com o apoio do deputado estadual Edmir Chedid alcançou resultado fantástico: 16.856 votos, enquanto em Itu 11.295 votos. Ainda não justificou a votação a ele atribuída.

Não seria mais oportuno e vantajoso para a nossa região ter Edmir Chedid como deputado federal? Aguardamos uma resposta, aliás, não se ignora aqui o excelente trabalho que ele desenvolve em Bragança Paulista e região. No entanto, já merecemos um representante na Câmara Federal. Basta ao desperdício. Também é fato que Edmir pode eleger seu filho para a Assembleia Legislativa ou seu irmão gêmeo Elmir, que conta com experiência e já foi suplente na Câmara Federal.

CÂMARA MUNICIPAL

FINALMENTE
Câmara Municipal corrige erro do passado e concede ao ilustre maestro João Carlos Martins o título de Cidadão Bragantino. O Decreto Legislativo é de autoria da Presidente da Mesa, Beth Chedid.

Infelizmente em 2010 a outorga proposta pela mesma vereadora foi rejeitada. Resta agora saber se o maestro acolherá tal honraria. No mais é a mesma lengalenga, ou seja, um jogo de palavras com repetições sem efeitos concretos. A lengalenga desses políticos já não é mais assimilada e quase sempre nem mesmo é levada a sério.

Há exceções... raras! Além de não acreditarem no que declamam, é bom que saibam que essa cantilena também está ultrapassada. O horário das sessões é uma vergonha e nesse período é de pleno trabalho para os que ainda conservam seus empregos e os desempregados estão em busca de trabalhos!!!

QUIPROQUÓ

HOSTILIDADE
entre alguns vereadores parece novela de caçar borboletas. O ofendido retruca com igual intensidade. Comentários voam de lá para cá e quando acabam os ataques, como acontece com as borboletas, na calmaria ela vem e pousa nos seus ombros. Aí termina o quiproquó e retorna ao status quo. Chega de brincadeira!!!

SEGREDO

OUTRO DIA
conversava com ex-vereador e, como se trata de confidência, não posso citá-lo. Isso me faz lembrar o diálogo entre Tancredo Neves e um correligionário. “Doutor Tancredo, preciso lhe contar um segredo, não contei para ninguém, nem mesmo para a minha mulher”.

Aí, rápido como um raio, Tancredo retrucou: “Então não conte nem para mim. Embora seja fato político... se você, que é dono do segredo e não está dando conta para guardá-lo, muito menos eu!”

POR ÚLTIMO
HÉLIO GARCIA>
“Tenho secretários para me trazerem soluções e não problemas”

ATÉ A PRÓXIMA