BJD
31 máx 19 min
BragançaPaulista18 Jan 2018


Colunistas


Jardim Público
Sábado,  01 JUL 2017
Tamanho dos caracteres

 Grupo do Solar Amigo e Associação Amigos do Ling – Gong estiveram na Câmara para pedir de volta o prédio do Jardim Público atualmente é ocupado pela Secretaria do Meio Ambiente. O Solar Amigo ficou dezenas de anos lá.

2 – Prefeito na Câmara

O Prefeito Jesus Chedid esteve na Câmara e se submeteu às perguntas dos vereadores. Destaco:

1 – Disse que a chamada falta abonada causa problemas na administração;

2 – Que o Carnaval terá que se autosustentar. Que ajudará, mas que não aumentará verbas para as escolas de samba.

3 – Que a Secretária de Saúde tem toda confiança sua e faz ótimo trabalho.

3 – Carnaval em São Paulo: redução de gastos


Também em São Paulo, capital (além do Rio de Janeiro), o prefeito Dória manifesta intenção de reduzir verbas, subsídios e gastos com o Carnaval.

É a tendência do momento.

4 – Rio de Janeiro: cortará verbas

No Rio de Janeiro, o Carnaval é consagrado, traz 1,1 milhão de turistas e arrecadação de 3 bilhões para o município.

Os subsídios das escolas de samba representam apenas 17% do orçamento delas. Portanto, a redução é justificável.

5 – Carnaval em Bragança: diferente

Em Bragança Paulista, os subsídios representam percentual enorme das escolas de samba. Aqui, elas não têm renda com ingressos, cotas de TV, patrocínio de empresas, nem renda considerável com eventos nas suas sedes. Dependem do poder público para desfilar. Houve uma histórica acomodação com essa situação.

6 – Carnaval: gastos

Em virtude da situação econômica do município, não se justifica gastar grandes somas de dinheiro público com o Carnaval. Sempre defendi essa posição, e agora ainda mais. Estaremos na contramão da tendência nacional.

7 – Lagos assoreados

Lagos urbanos, quase todos, se não forem cuidados, acabarão se extinguindo, estão sendo assoreados dia a dia. Não é só o Lago do Taboão que sofre o problema.

O lago da Hípica, o do Orfeu e o famoso Tanque do Moinho, tiveram redução considerável de sua capacidade (profundidade e tamanho) devido a grande quantidade de terra que cai em suas águas.

8 – Estradas da região

Outros problemas crônicos no município são as estradas da região, principalmente a Bragança – Socorro (Rodovia Capitão Barduino) e a Bragança – Itatiba (Rodovia Alkindar Monteiro Junqueira). Foram feitas várias promessas e anúncios de obras nessas estradas (duplicação de trechos, ciclovia, passagem de pedestre, acostamentos etc.). Infelizmente ficou só na promessa e nos anúncios em anos eleitorais.

9 – Seis meses se passaram

A atual administração completa seis meses (1/8 do mandato – 12,5%). A partir de agora, se intensificarão as cobranças da população. É natural que só justificar dificuldades apontando as administrações anteriores tem “prazo de validade”.

10 – Perigo

Essa questão da reforma e restauração do prédio do antigo Colégio São Luiz é uma herança “brava”. O prédio pode ruir. Algo tem que ser resolvido.

11 – Nada de ciclovia

Em Bragança, ao longo da história, nenhum prefeito se preocupou com a construção de ciclovias ou ciclofaixas.

Nos outros municípios, inclusive a capital, e importantes cidades (Sorocaba, Santos, São José dos Campos e muitas cidades turísticas, e industriais) a bicicleta é um meio de transporte levado a sério. O número de ciclovias cresce em todo país. Aqui? Nada.

12 – Reclamação

Moradores do Recanto Elizabete e Jardim São Miguel nos reclamam que seus bairros estão merecendo melhor atenção, pois têm sérios problemas de buracos nas ruas, iluminação, sinalização etc. Ruas Romeu Casagrande e Uruguaiana foram citadas.

13 – CRB: 80 anos

Clube de Regatas Bandeirantes completou 80 anos de fundação. É um clube lindo, muito bem dirigido. Tem uma diretoria muito competente.

14 – Folclore: ótimo começo

No dia 21 de junho, após dois anos e dez meses de namoro, eu e Rosana nos casamos, só no cartório, sem festa e convidados. Presentes só nós dois e testemunhas. O enlace é rapidíssimo. Ao final, o juiz de casamento pediu que assinássemos o livro e disse a Rosana para já assinar com o nome de casada. Ela é desligada. Começou a assinar, parou e me perguntou:

- Valle é com dois eles?
Brinquei:
- Nossa... que belo começo.
Todo mundo riu.