BJD
31 máx 19 min
BragançaPaulista18 Jan 2018


Colunistas


90 anos do “Bragança Jornal”
Quarta-Feira,  28 JUN 2017
Tamanho dos caracteres

 Na passagem do 90º aniversário de existência do Bragança Jornal Diário, surgiu a oportunidade de relembrar um pouco de sua vitoriosa jornada e como passamos a colaborar com o referido jornal, que na época era bi-semanário.

Desde menino, quando adquiria materiais escolares na parte de livraria da Tipografia Oliveira, que era anexa à redação e oficinas do Bragança-Jornal, conheci pessoalmente seu proprietário José de Oliveira.

Por ocasião de minha formatura do curso primário no Grupo Escolar “Dr. Jorge Tibiriçá”, foi na referida Tipografia Oliveira que foram impressas as lembranças (santinhos) que seriam entregues aos meus convidados na missa realizada pelo evento.

Porém, naquela época, já sabia da amizade que ligava José de Oliveira a meu pai, pois ambos na mocidade tinham sido músicos, haviam tocado juntos e, por sinal, o mesmo tipo de instrumento, o Baixo-Tuba.

Mais tarde, na Congregação Mariana da Catedral, fiquei conhecendo o Omair e iniciou-se aí uma sólida amizade entre nós.

No início da década de 1950, convidado por José de Oliveira, tornei-me colaborador do Bragança-Jornal. Durante algum tempo escrevi sobre assuntos cotidianos. Quando da resolução do então Prefeito Municipal Dr. Lourenço Quilicci em demolir o Paço Municipal, situado na Praça José Bonifácio, escrevemos um artigo apelando para o bom senso do Chefe do Poder Executivo no sentido da preservação daquele prédio.

Porém, não encontramos eco junto aos Poderes Legislativo e Executivo locais, nem junto à população que quedou-se inerte, deixando que a vontade do Prefeito fosse realizada, sendo o imóvel demolido, perdendo a cidade um edifício de grande valor histórico.

Depois, passei a representar o Bragança-Jornal na Câmara Municipal, relatando semanalmente aos leitores do bi-semanário o que se passava durante as sessões legislativas.

Surgiu daí a ideia da fundação de uma associação que congregasse os profissionais, os colaboradores e os simpatizantes da Imprensa. Um grupo tendo à frente Celso Dias de Oliveira, Waldemar Centini Jr., José de Oliveira, Prof. José Nantala Badue, Saturnino Pacitti, Benedito Waldemar Bittencourt, Esdras Linardi e Dr. Norberto Ferreira Aguirre, com a colaboração de personalidades locais como o Prefeito Municipal Ismael de Aguiar Leme, o Vice-Prefeito Mauro Del Royo e o Dr. José de Aguiar Leme, que prontificou-se a ceder um local para reuniões, iniciou-se a luta para alcançar o almejado fim.

Com o apoio decisivo de integrantes da Fundação Cásper Libero, foi fundada e eleita a diretoria da Associação Bragantina de Imprensa - A.B.I. que teve como seu primeiro Presidente Celso Dias de Oliveira e de cuja direção participei como 1º secretário. Na gestão seguinte, fui escolhido Vice-Presidente e posteriormente fui eleito Presidente da Associação, cargo que exerci durante 2 anos.

Com a minha posse no cargo de vereador no ano de 1957 e devido aos meus afazeres particulares, terminada minha gestão na A.B.I. continuei apenas colaborando no Bragança-Jornal, tendo depois deixado de fazê-lo por exiguidade de tempo.

Com a reativação do “Cidade de Bragança” em 2005, fui convidado a participar do quadro de colaboradores deste semanário, que na década de 1930 teve José de Oliveira como proprietário.

Após o encerramento das atividades jornalísticas do tradicional “Cidade de Bragança”, aceitei a continuar escrevendo no “Bragança Jornal Diário sobre um pouco da nossa história e dar minha modesta colaboração, para relembrar aos meus contemporâneos e mostrar aos mais jovens um pouco da memória bragantina.

Em rápidas linhas, procurei traçar a minha trajetória no Bragança-Jornal, que hoje é um jornal diário, dirigido atualmente por meus sobrinhos que procuram seguir o caminho traçado por José de Oliveira e já seguido por Omair Fagundes de Oliveira, seu dinâmico substituto.

Graças ao trabalho incessante, a família vem continuando a luta de José de Oliveira, que legou aos seus descendentes o senso de trabalho, dignidade, desprendimento, respeito e amor aos seus semelhantes, valores sob os quais orientou seus atos até o fim de sua profícua existência.

O exemplo desse grande homem está sendo seguido, e esperamos que assim continue, para orgulho de todos nós que pertencemos à família do Bragança-Jornal Diário.

JOSÉ CARLOS CHIARION é advogado, escritor e membro da Associação dos Escritores (ASES). Foi vereador; colunista do Bragança-Jornal Diário; participou da fundação e foi presidente da Associação Bragantina de Imprensa (ABI). É autor do livro “Um Pouco da Nossa História”.

EM TEMPO: Acompanhe toda sexta-feira, no “Altiora Jornal” exibido pela nossa TV Altiora, às 19:00 horas, a “Agenda Cultural”, onde cada semana um assunto dos aqui por nós abordado é comentado pelo jornalista Fabio Silverio, com a colaboração fotográfica de Luis Antonio Palombello.