BJD
33 máx 20 min
BragançaPaulista18 Jan 2018


Colunistas


Sacolas Plásticas Descartáveis - (Parte I)
Terça-Feira,  27 JUN 2017
Tamanho dos caracteres

 Toda mudança de hábito é difícil. Se perguntarmos para as pessoas se elas se preocupam com o meio ambiente, todo mundo diz que sim, mas na hora de tomar uma atitude e mudar alguma coisa vem muita reclamação... quanta incoerência entre discurso e prática! Uma ação simples que podemos adotar incentivando o consumo consciente e a redução na produção de lixo é o USO DA SACOLA PERMANENTE.

Há algum tempo temos acompanhado notícias sobre aprovação de leis que proíbem a distribuição gratuita de sacolas plásticas descartáveis em estabelecimentos comerciais. Essas campanhas sempre vêm acompanhadas de muita discussão. Como essa ação incide diretamente em nossos hábitos e atitudes do dia-a-dia, logo surgem preocupações como:

- Onde vamos colocar o lixo?

- Como vamos levar para casa as compras?

- Vai aumentar as vendas de sacos plásticos para colocar o lixo. Qual a vantagem desse tipo de iniciativa?

VAMOS A ALGUMAS EXPLICAÇÕES E ALTERNATIVAS A ESTAS PERGUNTAS:

1. As sacolas plásticas comuns são, em quase sua totalidade, produzidas a partir de derivados de petróleo, que é um bem natural finito, utilizado como matéria prima para fabricação de inúmeros produtos, como óleos, combustíveis, medicamentos, produtos médicos, escova de dente, poliéster, lycra, sola de sapatos, maquiagens, etc. Estamos utilizando a matéria prima da produção de itens necessários para o nosso bem estar, para produzir algo tem tempo de vida útil de minutos e acaba indo para o lixo.

2. A fabricação de sacolas plásticas comuns causam um grande impacto ambiental: extração do petróleo, uso de muita água e energia, emissão de gases e poluição devido seu transporte.

3. Como as sacolas plásticas comuns são produzidas a partir de resina sintética derivada de petróleo, não são biodegradáveis, e demoram mais de 100 anos para se decompor.

4. Atualmente no Brasil são produzidas 18 bilhões de sacolas plásticas descartáveis/ano, uma média de 66 sacolas por pessoa/mês. Naturalmente você não produz 66 sacolas de lixo por mês. Com a proibição da distribuição gratuita, esse número cairá, e passaremos a fazer uso consciente das sacolas plásticas.


5. No Brasil as sacolas plásticas descartáveis já representam 9,7% de todo o lixo do país, dificulta a decomposição do lixo que está dentro das sacolinhas e se jogados em bueiros, esses sacos plásticos impedem a passagem da água e causam inundações.

6. Pedaços de sacolas plásticas já foram encontrados no estômago de diversos animais localizados mortos, principalmente animais marinhos.

7. Foi identificada uma “ilha de lixo” boiando no Oceano Pacífico. Essa “ilha de lixo” é maior que o tamanho do estado de São Paulo, e foi formada por plásticos, sendo que 27% são sacolas descartáveis.

Continua na próxima semana...