BJD
33 máx 20 min
BragançaPaulista18 Jan 2018


Colunistas


Delírio I
Sábado,  24 JUN 2017
Tamanho dos caracteres

 SURPRESO E ASSUSTADO quando liguei o computador, para, como exercício diário, ler matérias interessantes do respeitado e tradicional jornal>”ESTADÃO” (21/JUN/2017)> http://opiniao.estadao.com.br/noticias/geral,um-alerta-importante,70001851974 me deparei com o título: Um alerta importante e já no preâmbulo a afirmação que me congelou> A luta contra a corrupção é importante, mas não pode ser uma meta em si mesma nem pode constituir o único norte para a organização institucional do País.

Aliás, a citação destacada é parte da palestra que o Ministro Gilmar Mendes proferiu em Recife. O texto, por sua vez, eleva ao altar elogios ao Ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes.

A palestra do ministro lança fagulhas nas investigações desenvolvidas e acentuou a existência de risco de o País “despencar para um modelo de Estado policial”. Ora, o que dizer diante da espionagem (suposta) da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) contra o ministro Edson Fachin? Aí sim é o retorno das práticas “próprias das ditaduras”, como atestou a ministra Cármen Lúcia. Também Rodrigo Janot foi explícito: “... em vez de fortalecer a democracia, adotam-se práticas de um Estado de exceção”. Terrível.

DELÍRIO II

OPINIÃO
adverte que “(...)deveria servir como um chamamento à prudência, artigo um tanto raro em meio à crispação generalizada que causa toda e qualquer crítica ao comportamento de certos procuradores e juízes, inclusive de tribunais superiores, que se deixam entusiasmar excessivamente pela missão de combater a corrupção”.

A razão sobra na resposta de Rodrigo Janot e não por entusiasmo. Foi curto e verdadeiro no seminário do Conselho Nacional do Ministério Público, que os críticos dos eventuais abusos da Lava Jato ou “militam na ignorância” ou “não têm compromisso verdadeiro com o País”. Para ativar a memória: a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) já divulgou nota para que Gilmar Mendes renuncie à toga e então exerça livremente sua liberdade de expressão como comentarista.

A AMB criticou a postura de Gilmar Mendes em dar opiniões sobre os desdobramentos da Operação Lava Jato: “(...) vem reiteradamente violando as leis da magistratura e os deveres éticos impostos a todos os juízes do país, valendo-se da imprensa para tecer juízos depreciativos sobre decisões tomadas no âmbito da Operação Lava Jato e mesmo sobre decisões de colegas seus, também Ministros do Supremo Tribunal Federal”. É suficiente!!!

POR AQUI

FESTAS JUNINAS
acalmaram os ânimos de situação e oposição. Os Santos celebrados aproximam políticos de todos os naipes. Santo Antonio é o casamenteiro.

Enquanto São João, segundo uma lenda, adormece no dia do seu aniversário, pois, acordado, não resistiria aos festejos e desceria à Terra, podendo se queimar na fogueira. Motivos dos fogos de artifício, justamente para acordá-lo. Já São Pedro é o protetor dos pescadores e das viúvas. Conforme a tradição católica, depois de morrer, São Pedro foi nomeado chaveiro do céu. Também lhe é atribuída a responsabilidade de fazer chover.

O aguaceiro com trovão e tudo, é porque São Pedro está lavando o céu e mudando os móveis de lugar. Aqui tivemos casamentos de famosos na política e fogos de artifícios. Nem mesmo a chuva acirrou o ânimo do Legislativo e Executivo. O “quentão” não falta e vale o ditado> “Nenhum(a) eleitor(a) que se preza suporta um político que o(a) despreza”.

ATÉ A PRÓXIMA