BJD
31 máx 19 min
BragançaPaulista18 Jan 2018


Colunistas


É bom lembrar-se dos bons. Franco Montoro não foi bom, ele foi um excelente governador
Sábado,  10 JUN 2017
Tamanho dos caracteres

 A Justiça é cega. Engana-se quem assim acredita. Ministros, juízes, promotores, são humanos, têm emoções, têm sentimentos, têm preferências. O que nos faz pensar assim? Neste momento, é o julgamento do pedido de cassação da chapa Dilma/Temer no Tribunal Superior Eleitoral. Não precisamos ser grandes analistas, estas características estão tão evidenciadas até no gestual das “Vossas Excelências”, que nos fazem prever o resultado. Essa “Conversa” é de 9/6/17.

Interessante que foi o PSDB, na pessoa do Aécio, que pediu a cassação da chapa Dilma/Temer, na qualidade de derrotado. Pois é, com a cassação da Dilma, o PSDB se juntou com Temer presidente. Quais os acordos? Quais? Nós, cidadãos, ficamos indignados com a podridão na alta cúpula dos Poderes. O mundo político é assim. E nós somos os pagantes compulsórios com crise deflagrada ou crise camuflada. Essa é a tônica do Brasil.

Apesar de se dizer e até provar que a “crise econômica” tem assento nas falcatruas, nos “roubos” bilionários, praticados em conluio pelos empresários, políticos, executivos de estatais, marqueteiros, onde o nosso dinheiro extrapola nossas fronteiras, podemos dizer que a crise social traduzida em injustiça social se assenta oficialmente, nos altíssimos salários, nos excessos de vantagens, de mordomias indescritíveis, usufruídos pela cúpula que forma uma casta privilegiada que se guia pelos seus próprios interesses. Seus componentes são insaciáveis. Um exemplo bem próximo de nós: os vereadores da nossa Câmara Municipal que mensalmente “abocanham” R$12.000,00 e são 19 vereadores.

Gozam também de mordomias: assessoria permanente, carro, motorista, status, poucas atividades pré-determinadas inerentes ao cargo, tempo disponível para suas atividades particulares. Notamos que a maior preocupação é manter-se no cargo nas próximas eleições, para isso ocorre até desvio de função. Na nossa Câmara já existe decano, já está na hora de pluralizar. Culpa dos legisladores que legislam em causa própria e dos eleitores nada politizados, que têm os seus votos viciados.

Diante dessa teia sanguessuga, afirmamos que imprescindíveis para nós são os prestadores de serviços na saúde, na educação, na segurança, na coleta de lixo, no transporte público, na manutenção e execução de serviços públicos. Qualquer uma dessas categorias que entre em greve há um colapso geral. E quanto ganham? E qual a sua carga horária semanal? E qual o peso de suas responsabilidades?

E qual a dose de cobranças? Chegam ao stress. Pois é, de fato são “imprescindíveis mesmo”. Já os “nobres” vereadores, se se afastarem, entrarem em licença, para nós cidadãos da banda de cá nada muda, continuamos sendo os pagantes compulsórios. Alguns cidadãos nada esclarecidos agradecem ao vereador que diz que tapou o buraco da sua rua. Que estágio!

É BOM LEMBRAR-SE DOS BONS. FRANCO MONTORO NÃO FOI BOM, ELE FOI UM EXCELENTE GOVERNADOR DE SÃO PAULO, DE 1983 A 1986

Ao tomarmos conhecimento da assinatura do protocolo de intenções por 10 prefeitos da Região Bragantina e Circuito das Águas para criar o Consórcio Intermunicipal Águas da Mantiqueira, proposta essa do prefeito Jesus, lembramo-nos do Franco Montoro, que, para facilitar e racionalizar as reivindicações dos prefeitos paulistas, criou no Estado 42 regiões administrativas.

Nossa Bragança era sede de uma região. Inicialmente recebeu o nome de Escritório Regional de Planejamento-ERP, passando depois para Escritório Regional de Governo – ERG. A 1ª finalidade desses escritórios era fortalecer a região, afunilando os pedidos comuns num só e selecionando por prioridade os pedidos específicos de cada município. A 2ª finalidade era ser a ponte entre a região e o governador, diminuindo a burocracia e a interferência política nos trâmites dos pedidos.

Que bom seria que esse Consórcio ensejasse a o fortalecimento da região, trazendo de volta a sede da Região Administrativa, com propostas conjugadas, por exemplo: a duplicação das vias Alkindar Monteiro, Benevenuto Moretto, Capitão Barduíno seria assinada pelos municípios usuários e assim segue em outras áreas. Urge que nos fortaleçamos regionalmente e abram portas para o voto distrital, excluindo de vez os votos dos paraquedistas que só aparecem no momento das eleições.

E MAIS UMA VEZ O ASSUNTO É O HOMEM DO CAMPO: O TRABALHADOR DE SOL A SOL, QUE LAVRA A TERRA, O AGRICULTOR QUE PLANTA, O PECUARISTA QUE INVESTE NO SEU REBANHO

Não longe daqui, nas nossas vizinhanças, no município de Tuiuti, a sua zona rural vem sofrendo furtos não só nas sedes das propriedades, mas ultimamente estão ocorrendo furto de gado em várias propriedades. Acontecem sem cerimônia, tangem o gado para o curral, encostam o caminhão/boiadeiro e transportam sua carga, por certo, com tranquilidade.

São furtos que desestabilizam em especial os pequenos pecuaristas e os iniciantes. Em nome do prejuízo dos pecuaristas e do medo de serem mais uma vítima, tornamos público esse pedido de providências às autoridades competentes. Cabe esta observação: muitos deixam de registrar o boletim de ocorrência, temendo represálias. Segurança, assunto que envolve a região.

Vamos ser de fato Sede de Região Administrativa. Vamos pensar “grande”?

A C O R D A B R A G A N Ç A ! ! !